quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Pênis de menino arrancado por poodle é reconstituído em cirurgia no Rio

Com ajuda de especialista italiano, médicos reconstroem pênis de garoto de 10 anos que teve o órgão arrancado por cachorro aos 6 meses de idade. Operação foi um sucesso


Rio - O menino C.J., que aos 6 meses teve o pênis amputado pelo cachorro da família, hoje, aos 10 anos e com o órgão totalmente reconstituído em cirurgia rara, conta os dias para voltar à escola. Há dois anos, ele abandonou os estudos, no pequeno Município de Delmiro Gouveia, em Alagoas, por ser alvo de piada dos colegas.

Arte O Dia

Em casa, o garoto cobrava da mãe, a doméstica Ana Lúcia de Jesus, 30 anos, que cria cinco filhos com R$ 100 mensais, que tentasse resolver seu problema. A solução parecia milagre. Sexta-feira, o impossível aconteceu: em seis horas e meia de operação, realizada no Hospital Municipal Jesus, em Vila Isabel, ele teve o pênis reconstruído com pele do abdome. O menino é um sorriso só. “Está ansioso para mostrar aos colegas. Toda hora levanta a roupa para ver!”, conta a mãe.

O final feliz foi resultado da habilidade de médicos e da solidariedade de muitos. A primeira vinda do menino foi paga com dinheiro arrecadado por um alagoano conhecido como ‘Galego do Seguro’, que se sensibilizou. Em abril, a mãe conheceu o chefe da cirurgia pediátrica do Hospital Jesus, Nicanor Macedo, que é especialista em correção de anomalias congênitas da genitália de crianças e amigo do maior perito do mundo em reconstituição peniana infantil, o italiano Roberto de Castro. Macedo contatou o colega, que se dispôs a vir.

Ana abraça o filho, operado no Hospital Municipal Jesus por equipe liderada pelo médico Nicanor Macedo. Foto André Mourão/Ag. O Dia

Médicos do hospital municipal, referência em cirurgias urológicas em crianças, dividiram a despesa de passagem e hospedagem do italiano. A segunda vinda do garoto e da mãe foi paga pela Prefeitura de Delmiro Gouveia, depois que Macedo falou com o prefeito.

PROBLEMAS DE IDENTIDADE

Autor da técnica cirúrgica que ajudou a mudar a forma como sociedade e ciência lidavam com casos de falta de pênis (congênita ou traumática), Roberto de Castro já fez 21 operações do tipo nos cinco continentes, quatro no Brasil. No passado, pela dificuldade de se construir um pênis, meninos ganhavam genitália feminina, mais fácil de se constituir cirurgicamente, o que gerava sérios problemas de identidade.

O italiano chegou ao Rio na véspera da operação que realizou em C.J., com Macedo e o cirurgião Antônio Aziz Filho. O menino ficará internado por um mês. Quando chegar à puberdade, passará por cirurgia complementar e poderá vir a ter vida sexual ativa.

Trauma com reações na escola

“Ele ficou muito contente e disse: ‘Meus colegas não vão mais rir de mim nem me chamar de sem-pinto!’. Diziam que ele ia ser gay. Ele chegava em casa chorando”, desabafou a mãe, que pensou em suicídio. Ana se emocionou ao lembrar o dia em que o poodle atacou C.J. ainda bebê. Ela trabalhava para sustentar a família, e o pai do menino, que deveria cuidar dele, deixou-o sozinho em casa. Quando Ana chegou, o cão ainda estava sobre o bebê, que chorava. A mãe se separou do marido e, desde então, sofria com a mutilação do filho. “Estava quase perdendo a esperança”.rança”.










Fonte: O Dia

Um comentário:

  1. no meu ponto de vista, acho q deveria retirar o penis do pai dele, q foi na verdade o culpado de tudo:
    1º-Por não alimentar o cachorro;
    2º-Por ser um pai negligente e totalmente irresponsável em deixar a criança de 10 meses sozinha (deve t ido tomar uma pinguinha ali na eskina).
    e implantar no garoto, e a mãe da criança por sua vez, deveria processar esse inútil por abandono de incapaz.
    tenhu dito a Benedito.

    ResponderExcluir

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.