quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Maranhão: Menina de 13 anos é morta após ataque de tubarão


Ela desapareceu em 8 de setembro no litoral de São Luís.
Laudo dos legistas, divulgado nesta quarta-feira (23), comprovou o ataque.

Foto: Reprodução/TV Mirante

Menina de 13 anos morreu após ataque de tubarão no Maranhão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Uma menina de 13 anos, que desapareceu nas águas do litoral de São Luís, no dia 8 de setembro, morreu vítima de um ataque de tubarão. O corpo da vítima foi encontrado no dia seguinte ao desaparecimento. A confirmação do ataque foi feito pelo laudo o Instituto Médico Legal (IML) da capital maranhense.

A informação inicial do Corpo de Bombeiros de São Luís dava conta apenas do afogamento. A investigação feita pelos legistas do IML foi feita em decorrência dos ferimentos encontrados no corpo da vítima. Uma das pernas da jovem foi arrancada com a violência da mordida do tubarão, segundo o laudo.


No Recife
O corpo de um rapaz de 15 anos foi encontrado na madrugada do mesmo dia 8 de setembro, só que desta vez na praia de Jaboatão dos Guararapes (PE). A vítima tinha marcas semelhantes a mordidas de tubarão nas pernas, costas e nádegas. A comprovação do ataque foi feito por legistas do IML do Recife. 

O rapaz tinha desaparecido na água após entrar no mar para socorrer a namorada, que se afogava no local. Ela foi socorrida por banhistas e por uma equipe de bombeiros.

Desde 1992, aconteceram 53 ataques de tubarão em praias pernambucanas. Vinte pessoas morreram.





A adolescente foi encontrada pelo Corpo de Bombeiros sem os braços e as pernas.



A morte da menina Ingrid Brasil de Souza, 13, levantou uma grande dúvida para a população e autoridades responsáveis pelo caso. No começo da manhã desta quarta feira (9) a adolescente foi encontrada pelo Corpo de Bombeiros sem os braços e as pernas: a hipótese mais provável seria um ataque por tubarão.

Alguns pesquisadores, como é o caso do zoólogo e especialista em ecologia e taxonomia de peixes, o professor Nivaldo Piorski, afirmou que ataques de tubarões naquela região marítima onde foi encontrado o cadáver da jovem não é normal. Ele ainda acrescenta que talvez a morte da menina possa ter acontecido por afogamento. “Ela pode ter morrido por afogamento, e nisso o corpo foi arrastado pelas ondas marítimas, fazendo com que ela se afastasse da praia. Não posso afirmar com precisão se ela foi mordida por tubarões. Ela pode ter sido atacada por peixes, pois, naquela área podem-se encontrar vários tipos de peixes carnívoros”, explicou

Segundo o pesquisador, geralmente são encontrados tubarões de pequeno porte próximo às praias do litoral. Eles chegam a medir cerca de 50 cm. Já os de grande porte que chegam a medir 1m80 podem ser encontrados na parte de navegação dos navios. “É raro encontrar um tubarão de grande porte próximo ás praias. Por outro lado, aumento na salinidade devido à redução das descargas dos rios nas baías pode permitir a aproximação de espécies que, na maior parte do ano, preferem áreas mais distantes das praias”, explicou.

Apenas três espécies, o G. cuvieri, C. leucas e C. limbatus, podem ser consideradas perigosas, pois crescem mais e apresentam maior agressividade. “A agressividade das espécies pode ser considerado um comportamento natural, uma vez que são predadores de topo e, como tal, devem se comportar assim para a obtenção do seu alimento”, relatou o Nivaldo.

Para ser feito um estrago do tamanho da situação que foi encontrado o corpo da jovem seria necessário vários tubarões de pequeno porte. “Não posso afirmar quantos tubarões atacaram-na, só sei que um só não pode ter feito este estrago”, afirmou o professor.

O Comandante do Grupamento Marítimo, Coronel Diones Rodrigues, falou a equipe de reportagem de O Imparcial online que os bombeiros estão trabalhando com a hipótese de ataque por tubarão, mas, quando sair o laudo do Instituto Médico Legal é que toda as dúvida vão ser esclarecidas. “Nós trabalhamos com essa hipótese porque pessoas que estavam próximas a jovem no momento do triste fato disseram que ela estava banhando longe da beira do mar. Onde ela estava a água cobria peitoral dela. E de repente a jovem foi arrastada para o fundo batendo com as mãos na água. Segundo essas pessoas foi algo muito rápido”, explicou.

Rodrigues ainda disse que pescadores daquela região asseguram que ver tubarão ali é normal. Ele pede que as pessoas tenham cautela ao optarem por entrarem no mar. “Seria bom que evitassem entrar na água até sair o laudo IML, mas, se entrarem tenham cuidado. Evitem ir para regiões mais fundas”, solicitou.

O surfista Marcelo Bogéa, 44, o Marcelo Piu-piu que já salvou uma vitima por ataque de tubarão disse que lamenta muito a tragédia com a jovem. “O Gustavo foi atacado por um tubarão e eu pude salvá-lo, mas, infelizmente ele perdeu o braço durante o ataque. O tubarão devorou o braço dele”, contou. Ele ainda disse que no mesmo dia em salvou a vitima teve conhecimento de outra pessoa que foi atacada também por tubarão. “Ele perdeu o pé”, afirmou.

O Diretor Geral do Instituto Médico Legal (IML), Doutor Wanderley Souza, confirmou que os laudos iniciais dizem que o motivo da morte da jovem foi por afogamento e que os braços e as pernas dela foram arrancados. “Provavelmente foi um tubarão de grande porte, pois um peixe pequeno não teria capacidade de arrancar os membros dessa forma”, afirmou.

Fontes: Do G1, em São Paulo, com informações do iMirante.com
O Imparcial Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.