quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pênis. Existe tratamento eficaz para aumentar seu tamanho?


É possível aumentar tamanho do pênis?
Por se tratar de um órgão essencialmente vascular, não existe nenhum tratamento eficaz para aumentar o pênis


Atualmente, com a internet e a grande disponibilidade de informações disponíveis para o público leigo, surgiu um novo filão para o charlatanismo. Os tratamentos mirabolantes vão desde medicamentos ''mágicos'' para a impotência sexual até métodos ''revolucionários'' de alongamento peniano. Nada disso tem fundamento científico.

O pênis é um órgão essencialmente vascular, ou seja, composto na sua maior parte de estruturas semelhantes aos vasos sanguíneos, os corpos cavernosos. Estes são os responsáveis pela ereção, se enchendo de sangue como uma esponja, na presença de estímulo sexual adequado. Portanto, o pênis não é um músculo que pode ser ''exercitado'' e ter seu tamanho aumentado, assim como fazemos com nossos bíceps na academia.

Do mesmo modo, existem aparelhos disponíveis que prometem um aumento peniano às custas de constante tração no pênis, acreditando que esticar este órgão constantemente provocará seu crescimento. Pura enganação.

Atualmente as cirurgias para aumento peniano são exclusivamente experimentais, podendo ser realizadas somente em instituições credenciadas para pesquisas em seres humanos e de acordo com rígidas diretrizes da bioética. Não estão disponíveis, ainda, para a população em geral.

É preciso que a população masculina entenda que o tamanho do pênis não tem relação nenhuma com o prazer feminino. A vagina da mulher tem, em média, de 7 cm a 8 cm, sendo a região de maior estímulo sexual a sua porção mais externa.

O pênis do brasileiro tem, em média, 14 cm a 16 cm em ereção. Portanto, a imensa maioria dos homens tem plena capacidade de ter relações sexuais satifastórias para ambos os sexos com seu pênis ''original de fábrica'', sem precisar recorrer a quaisquer artifícios duvidosos.

Juliano Plastina, urologista

Veja a tabela de cores do lado esquerdo: ela diz, em centímetros, qual é a média de cada país

fonte: bonde.com.br


A preocupação com o tamanho do pênis é comum entre os homens. Essa ansiedade pode ocorrer na infância, na adolescência ou na fase adulta. Meninos freqüentemente comparam o tamanho de seus pênis com os dos outros. Piadas e brincadeiras surgem dessas comparações. Entretanto a situação muda quando há início da atividade sexual. 
Muitos homens, embora com pênis de tamanho normal, o acham pequeno por várias razões: 
 
O pênis dos outros é maior.
Essa situação é muito comum e na maioria das vezes sem fundamento médico. Esses pacientes reclamam do comprimento do órgão mesmo com ereção e penetração vaginal normais.
Pacientes obesos reclamam ter pênis curto.
Essa situação é devida ao embutimento do pênis em meio à gordura sobre o púbis o que dá a impressão de um órgão pequeno.
Estatura alta e pênis não proporcional.
Embora haja certa relação da estatura do paciente com o tamanho do seu pênis, existe uma ampla variação de comprimento encontrada. Homens de baixa estatura podem ter pênis maiores que homens de alta estatura e vice-versa.
Flacidez peniana e ereção.
Os pacientes geralmente se preocupam com o tamanho do pênis em flacidez que é geralmente o momento de comparação com o de outros homens. Muitos não sabem o comprimento em ereção ou qual foi o crescimento adicional. O que muitos se esquecem é que o tamanho deve ser acompanhado de uma ereção efetiva que garanta uma penetração vaginal.
O que é um pênis normal?
Deixando de lado os aspectos anatômicos de normalidade, um pênis flácido mede de 5 cm a 10 cm de comprimento. O tamanho durante a flacidez não determina o tamanho durante a ereção. A medida é feita desde o ponto em que ele se encontra com o corpo (não com a pele) até a extremidade da glande. Se aplicarmos tração manual, o pênis ganhará de 2 a 5 cm. Masters e Johnson (1966) verificaram que o pênis em ereção mede de 12,5 cm a 17,5 cm. Um recém-nascido apresenta um comprimento médio de 3,75 cm.
O que é um pênis anormal?
Não há uma definição universalmente aceita. Um pênis flácido menor que 4cm ou um ereto com menos de 7,5 cm devem ser considerados pequenos. Entretanto, encontramos pacientes que se aproximam desses valores mas com boa ereção e sem queixas no seu relacionamento sexual.
Quais as causas de pênis pequeno?
Causas hormonais por desordem de funcionamento dos testículos ou da hipófise podem interferir no desenvolvimento do pênis bem como de toda a genitália masculina. Dentro destes casos encontra-se desde o micro-pênis até a genitália ambígua. O pênis pode ficar pequeno em conseqüência de traumatismos, queimaduras ou doenças adquiridas (doença de Peyronie). Geralmente essas causas são raras. O mais freqüente é que o paciente não esteja satisfeito com o tamanho do seu pênis mesmo que o médico nada encontre de anormal.
Tratamento
O paciente deve ser examinado detalhadamente, incluindo volume e presença dos testículos, presença e localização de pêlos pubianos e outros caracteres sexuais secundários. Se o pênis for considerado de tamanho normal pelo médico, o paciente necessitará de uma avaliação por um sexólogo, psicólogo ou psiquiatra a fim de pesquisar a verdadeira razão de sua queixa. Se o pênis for considerado pequeno e forem detectadas alterações hormonais, uma reposição com testosterona está indicada.
Tratamentos não cirúrgicos como aparelhos à vácuo, aparelhos de tração mecânica, aparelhos de estimulação eletromagnética, pesos, não dão resposta satisfatória permanente. O tratamento cirúrgico envolve secção dos ligamentos suspensores do pênis, injeção de gordura no corpo do pênis (aumento do diâmetro) ou uso de retalhos cutâneos das coxas ou nádegas. Esses tratamentos não são isentos de complicações e algumas delas podem ser graves, tais como necrose dos retalhos, reabsorção de gordura, insatisfação do paciente. Além disso, os resultados desses tratamentos são pouco conhecidos na literatura médica.
Conclusão
Infelizmente, muitos profissionais pouco éticos se aproveitam da ansiedade e dúvidas dos pacientes, indicando, sem nenhum critério, tratamentos que mais visam onerar o paciente do que realmente uma orientação científica. Os pacientes com dúvidas sobre o tamanho do seu pênis devem procurar profissional qualificado, o qual avaliará a situação, podendo ser necessária uma opinião multidisciplinar com sexólogo ou psiquiatra.
Perguntas que você pode fazer ao seu médico
Como posso saber se meu pênis é normal?
Existem maneiras seguras de aumentar o meu pênis se eu não estiver satisfeito com o tamanho? 
[abcdasaude.com.br]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.