terça-feira, 1 de maio de 2012

Nudismo ou naturismo é só gostar de ficar nu?

Vídeo: Pelado(s) e pelada(s), porém sem sacanagem








Naturismo é ser natural. O Naturismo tem como finalidade promover um modo de vida mais natural e saudável, dirigindo suas preocupações para o meio ambiente, para a saúde física e mental e para a alimentação.

No congresso da INF ocorrido em Agde na França, em 1974, os Naturistas presentes, após extensa deliberação sobre o assunto, definiram o Naturismo como:

"Naturismo é um modo de vida, em harmonia com a natureza, caracterizado pela pratica da nudez social, com a intenção de encorajar o auto respeito, o respeito pelo próximo e pelo meio ambiente"

A nudez social constitue-se numa caracteristica essencial do Naturismo, pelos vários efeitos benéficos que procporciona, tanto física como psicologicamente.

O Naturismo restaura o balanço entre as dimensões física e psíquica, livrando as pessoas das tensões internas causadas pelos tabus e pelas provocações da nossa sociedade contemporânea.

Cada país e cada grupo Naturista tem suas particularidades, alguns mais fiéis aos principios de saúde ligados ao Naturismo, pregando o vegetarianismo e a pratica de exercícios, outros menos rígidos, pregando um Naturismo mais próximo das condições alimentares e de exercícios físicos que vivemos em nossa sociedade. O importante é que todos seguem as mesmas normas e possuem todos o mesmo objetivo, o crescimento psíquico do ser humano e uma maior proximidade com a natureza.

http://www.fbrn.com.br


Entrevista > Evandro Telles, naturista

27/12/2009 -  (A Gazeta)

"Naturismo é mais que tirar a roupa" 
Para a maioria de nós, a nudez está diretamente ligada ao erotismo e à sexualidade, ficando, portanto, restrita aos ambientes fechados. Mas há quem tire a roupa - e em público - não para seduzir e sim como uma forma de entrar em contato com a natureza e de aprender a respeitar as pessoas pelo que elas são e não pelo que parecem. Parece difícil pensar assim? Por isso, o administrador de empresas e naturista Evandro Telles resolveu organizar e transformar em livro uma coletânea de artigos sobre o tema. "Verdades que as Roupas Escondem" mostra as diversas vantagens e atrativos de ser naturista para eliminar preconceitos e, quem sabe, até angariar novos adeptos.

Afinal, o que as roupas escondem? 
As roupas escondem nossas vaidades, nossa arrogância, prepotência, nossos defeitos e escondem também a nossa naturalidade como ser. Através da roupa criamos tabus e valores que não existem. Somos todos iguais, mas uma pessoa de terno vai ser melhor aceita do que uma vestida de forma simples.


Mas algumas distinções são importantes... 
Na verdade, a roupa mostra o que você não é. Ao natural, médicos, advogados e garis são todos iguais. Não é que não seja importante distinguir. As roupas surgiram por uma questão de sobrevivência do homem, de se proteger do frio, do sol. Devíamos nos vestir apenas quando houvesse necessidade. Não temos porque esconder a nossa natureza. As roupas são úteis, mas invertemos tudo.

Como dissociar o nu do erotismo? 
A visão erótica também é educacional. Quando começa a esconder muito, você cria uma curiosidade sobre o assunto. Por isso há tantos casos de gravidez na adolescência. Na ânsia de esconder o que acham impuro, os pais acabam tirando das crianças a abertura para conversar sobre o assunto. Se os corpos fossem vistos com naturalidade, não haveria toda essa erotização errada. Se tiver que cobrir alguma parte do corpo, que seja a cabeça, porque é por onde passa toda a malícia.

Qual é a principal proposta do movimento naturista? Todo mundo deve andar pelado? 
Ninguém está defendendo a nudez nas ruas. O movimento naturista defende olhares diferenciados para o outro, com mais respeito. O naturismo faz parte da nossa vida. A definição internacional do naturismo é um modo de vida em harmonia com a natureza, caracterizado pela nudez social, que tem por intenção encorajar o autorrespeito, o respeito pelo próximo e o cuidado com o meio ambiente. Com o uso equivocado das roupas, nós supervalorizamos algumas partes do nosso corpo e esquecemos que todas elas são igualmente importantes.


Anúncios Shopping UOL
Como estar nu pode ajudar a respeitar o próximo? 
Quando se está nu, a gente se preocupa com o respeito ao outro com mais intensidade. Porque, ao tomar essa posição, você acaba sendo um modelo. Se eu - como naturista - for pego fazendo algo de errado, traindo a minha mulher, por exemplo, vou arruinar toda a minha filosofia de vida, toda a minha credibilidade. A gente deveria esperar de todos esse tipo de atitude, mas todos temos muitas coisas a esconder. Com as roupas, a gente vai aprendendo a esconder também nossos sentimentos. E a gente não sabe direito quando isso começa. Até um determinado momento, um bebê pelado é bonitinho, depois começam a cobrar que se cubram.

A nudez deveria ser estimulada em casa? 
Naturismo não é só tirar a roupa, é merecer ficar sem ela. E esse merecimento é alcançado pelo desprendimento do corpo e da mente em relação aos tabus. O ideal seria começar dentro da família, deixar as crianças tomar banho com os pais, para que elas possam se acostumar com o corpo humano.

E também em espaços públicos... 
Os espaços deveriam ser ampliados. Há inclusive um potencial de turismo elevado nessa área. É importante exercer a nudez em grupo, para exercitar o respeito ao próximo, ver o outro além de seu físico.

É uma mudança difícil... 


 Principalmente para as mulheres, que sofrem mais repressão sexual durante toda a vida. Mas são justamente elas que têm mais a ganhar com o naturismo. Quando falamos para uma menina cruzar as pernas ao sentar, imaginando a malícia dos outros, é sinal de que estamos impregnados dessa malícia.

É preciso estar nu para ter contato com a natureza?
Naturismo com roupa não seria naturismo. Eu vejo vários motivos para ser naturista, e não vejo nenhum para não o ser.

Esse exercício de ver o nu com naturalidade não atrapalha a atração sexual depois? 
A ereção e o desejo vêm muito mais do pensamento, não é uma questão de estar nu ou não. A gente responde aos estímulos que recebe, e isso depende do carinho e principalmente das intenções que você tem naquele momento. Na descoberta não apenas intelectual, mas prática de que somos um todo, e não seres seccionados em partes honrosas e partes indecorosas, passamos a aceitar melhor nosso corpo. Junto da roupa, saem as etiquetas e percebemos que somos todos iguais, apesar das diferenças. Percebemos que somos parte de algo maior...

Como sua família lida com isso? São todos naturistas? 
Hoje eles já entenderam que ser naturista é um fim em si, um processo de se conscientizar como sendo parte da natureza. Meus dois filhos - que sempre foram resistentes à ideia - só agora estão entendendo, e minha esposa deve começar a frequentar a praia naturista a partir de janeiro. Apesar de não praticar, ela sempre me apoiou, até porque em casa estou sempre nu. Boa parte dessa aceitação, inclusive de amigos, veio do lançamento do livro. A visão das pessoas mudou ao ver que não sou só eu e sim várias pessoas, de diferentes formações, que defendem a mesma ideia. Hoje, de forma geral, há muito mais pessoas dispostas a conhecer a filosofia naturista.






DO CIGARRO AO NATURISMO 
Existem três motivos para a nossa existência: Vivemos para o corpo, para a mente e para a alma. Nenhum desses motivos é melhor ou mais sagrado do que o outro; todos são igualmente desejáveis e nenhum dos três pode alcançar a plenitude se a um deles for negada uma vida integral e expressiva. Extraído do livro "A ciência de ficar Rico" de Wallace Delois Wattles.

Não pretendo repetir aqui a definição de naturismo, já foi colocada em textos anteriores a este, mas não custa nada lembrar que naturismo é respeito à natureza, às nossas diferenças e ao nosso próprio corpo. Como disse Joseane, em sua palestra proferida no Síto Beija-flor em Mogi Mirim em 14 e 15/02/09: "NATURISMO É VIDA, É NUDEZ CONSENTIDA, É MOVIMENTO SUSTENTÁVEL".
Aqueles que estudam o naturismo, sua história e seu desenvolvimento sabem perfeitamente da incompatibilidade entre tabagismo e naturismo. São opostos que não podem conviver no mesmo espaço, porque enquanto um defende a vida e o respeito o outro a tira e agride a natureza de si próprio e dos que estão próximos, e por chegar a essa conclusão óbvia, considero verdadeiro naturista aquele que não sabe somente ficar nu, mas também aquele que tem a postura de defensor da vida. Como já disse em outras oportunidades, as Associações Protetores dos Animais e os Naturistas podem sair de mãos dadas em defesa dos mesmos ideais, A VIDA.

Faço ainda uma observação importante: Alguns anos atrás o cigarro conferia status. As propagandas mostravam os indivíduos de sucesso fumavam e, para as mulheres, acender um cigarro representava charme e sensualidade.

Já trabalhei numa sala fechada com ar refrigerado com 6 a 7 pessoas, sendo 3 fumantes que acendiam seus cigarros normalmente e não eram repreendidos. Já  viajei de ônibus interestadual onde qualquer um poderia acender o cigarro tranquilamente e ninguém ficava chamando a atenção por isso. Nos dias atuais isso é inacreditável. A nova geração diria que é mentira minha. Quem fuma hoje passa vergonha porque é discriminado, está agredindo a natureza de outras pessoas.

O que aconteceu? Aconteceu uma mudança de valores, as pessoas querem uma purificação dos corpos, buscam a saúde por meio da alimentação e do exercício físico.

Naturistas estão na expectativa da purificação das mentes, o que mais cedo ou mais tarde também acontecerá. O autor Wallace afirma: Vivemos para o corpo, mente e alma, e quem sabe este texto estará sendo lido por uma geração futura que conseguiu despoluir a mente dos pensamentos pornográficos e que conseguiu viver a plenitude de seus corpos e mente? Na época ninguém acreditava que iria acontecer isso com o cigarro e olhe aí o que estamos vendo. Hoje o ditado "os incomodados que se mudem" já não funciona mais.

Mudanças de valores sociais têm acontecido com freqüência. Chegará um dia em que pessoas andando pelas ruas sem nenhuma vestimenta será normal, será a experiência do corpo, mente e alma. Repetindo as palavras de Paula Queiroga citadas na revista Brasil Naturista edição nº 7 "Desnudar é simplesmente desapegar-se, largar-se, entregar-se ao campo de experiência pura de viver o aqui-agora, o Divino que há em você; de viver a essência divina que você é; de manifestar a potencialidade da criatura, do criador e da criação que há em você. É perder o controle e acessar a consciência. É sair da doença e curar-se, tornar-se são. É ser livre, ilimitado... É reconhecer-se imortal".


Saiba mais sobre o naturismo 
Conceito 
Para os naturistas, a nudez é inerente ao homem e não requer pudores. O exemplo é Adão e Eva, que só depois do "pecado" passaram a sentir vergonha de estarem nus

Cultura 
No Império Romano, do século II até o final do IV, homens e mulheres banhavam-se nos banhos públicos. Na Grécia, era comum a prática de esportes sem nenhuma vestimenta

Moderno 
O naturismo moderno surgiu no início do século XX, na Alemanha e França. Na França, uma clínica pregava a nudez ao ar livre com alimentação natural, sem nenhum produto animal ou drogas. Na Alemanha, um professor de Educação Física (Adolf Koch) propôs aos seus alunos fazer os exercícios ao ar livre e sem roupas. Eles passaram, então, a influenciar suas famílias que aderiram à filosofia

Alteração


A alteração de nome para naturismo foi feita na década de 1950. Em 1906, surge na Alemanha o primeiro campo oficial para a prática

Ampliação 
Após a Segunda Guerra Mundial, o naturismo começou a se difundir na Europa e nos Estados Unidos. Hoje, são poucos os países que ainda não possuem adeptos do movimento

Fonte: Federação Brasileira de Naturismo

A pioneira 
Luz del Fuego: Uma naturista ilustre

Origem 
Dora Vivacqua nasceu em 1917 em Cachoeiro de Itapemirim. De família ilustre e temperamento difícil, teve vários conflitos com os irmãos e foi internada diversas vezes em clínicas psiquiátricas

Vanguarda
Em 1932, queria ir para o Rio de Janeiro. Desfilava pela Praia de Marataízes de calcinha e bustiê improvisados com lenços, muito antes do biquíni. Em 1944, começa a se apresentar em circos, sempre acompanhada de uma casal de jiboias e muda o nome para Luz del Fuego, nome de um batom argentino

Livros
Depois de publicar livros polêmicos, em 1948, Luz lança sua filosofia naturista. O livro foi censurado. O dinheiro da segunda edição, vendida pelo correio, serviria instalar o primeiro clube naturista

Família 
Seus irmãos, ativos na política e no comércio, compravam edições inteiras de revistas em que ela saía para evitar exposição. Com prestígio e sedução, ela consegue, no Rio, uma sede para seu clube naturista, a Ilha do Sol

Fim 
Quase sem dinheiro, Luz passou a viver na Ilha do Sol. Foi morta em 1967 por dois homens



Um comentário:

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.