quarta-feira, 17 de abril de 2013

Bombeiro 'dotado' pode ser preso por sexo com casal em viatura no quartel

Bombeiro libera quartel para participar de orgia com casal e fotos vão parar na internet O militar, que usava o codinome "Bombeiro Dotado", convidou o casal para uma sessão privê em quartel no Rio

O cabo do Corpo de Bombeiros pode ficar de seis meses a um ano preso pelo ato, feito enquanto estava em serviço em um quartel em Nova Iguaçu

Um cabo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro pode ficar de seis meses a um ano preso depois que fotos suas fazendo sexo com um casal, em uma viatura da corporação, dentro de um quartel, em seu horário de serviço, foram publicadas na internet e descobertas por uma superior.  

Segundo o titular da Promotoria de Justiça junto à auditoria da Justiça Militar do Ministério Público fluminense, Décio Luiz Alonso Gomes, o cabo estava em serviço no 4º GBM, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, quando entrou em um sala de bate-papo com pessoas interessadas em conteúdo pornográfico na internet. De acordo com o promotor, o bombeiro então iniciou uma conversa com um casal. Ele foi informado que a mulher teria fantasia de ter relações sexuais com um homem fardado e marcou um encontro para o mesmo dia, no quartel onde trabalhava.
Segundo o jornal O Dia, o cabo e o casal se conheceram pela internet. O militar, que usava o codinome "Bombeiro Dotado", convidou marido e mulher para uma sessão privê no 4º Grupamento, em Posse, no dia 22 de junho do ano passado.

A festinha particular incluiu poses na escada magirus, uso de uniforme de segurança, mangueiras e até rapel. Ainda de acordo com o jornal, o cabo e o casal mantinham relações sexuais, enquanto o sargento, responsável pela entrada e saída de pessoas no quartel, ficava de prontidão.
Ele então contou a situação a um sargento, que teria facilitado a entrada do casal no local, e sido conivente com a prática. Segundo o promotor, ele não participou do sexo com os demais.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o caso foi registrado no primeiro trimestre de 2012. Na Promotoria de Justiça junto à auditoria da Justiça Militar, o registro é de junho do mesmo ano.

Após o ato, o casal deixou o quartel e, posteriormente, postou imagens tiradas naquele momento na internet. Depois de comentários internos, rumores do que havia acontecido no local chegaram a uma major, que apurou o fato e descobriu as imagens com o cabo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, imediatamente foi instaurado um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar os fatos. Em seguida o cabo e o sargento foram punidos com 30 e 20 dias de prisão, respectivamente.
Bombeiros descem de rapel enquanto mulher sobe na escada magirus (Foto: Reprodução)

Além do processo administrativo, os dois responderão também por crime militar já que, de acordo com o Corpo de Bombeiros, os autos do inquérito foram remetidos à Promotoria de Justiça junto à Auditoria de Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro, que ofertou denúncia contra os militares.

Segundo Décio Luiz, os dois responderão ao artigo 235 do Código Penal Militar, de pederastia ou outro ato de libidinagem, que pune militares por “praticar, ou permitir o militar que com ele se pratique ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito a administração militar”.

De acordo com o promotor, o casal ainda não foi identificado, mas podem responder criminalmente também, em esfera civil, por conta do episódio.

O casal, batizado de ksal fetiche, ironizou em conversas na internet: “Chegamos na portaria e avisamos que vamos dar umazinha com vc aih dentro kkkk”. E completa: “Então, vamos entrar e sair sem os 23 perceberem”, citando a tropa de plantão no Grupamento.

O Corpo de Bombeiros concluiu que houve crime militar e menosprezo ao uniforme, já que a mulher usou o uniforme como fetiche.

O cabo sofreu 30 dias de prisão disciplinar, e o sargento, que deu cobertura, foi punido em 20 dias.
Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.