sábado, 15 de junho de 2013

Morre no RS homem que percorreu 50km com serra elétrica fincada na barriga

Morre em Santa Rosa, RS, homem que teve serra fincada na barriga
Agricultor estava internado na Região Noroeste desde segunda-feira (10).
Segundo nota do hospital, paciente de 56 anos teve uma infecção.

Morreu neste sábado (15) em Santa Rosa, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, o homem que percorreu cerca de 50 quilômetros com uma serra elétrica cravada na barriga. Gregório Steinmetz, de 56 anos, estava internado no Hospital Vida e Saúde. Segundo comunicado oficial, o paciente teve choque séptico (infecção) devido ao infarto mesentérico do intestino.

Morador do município de Campina das Missões, o homem de 56 anos precisou viajar até a cidade vizinha e aguardar por uma cirurgia por cerca de duas horas na última segunda-feira (10) para retirar a serra que ficou cravada na barriga. Ele usava a motosserra para cortar lenha no galpão de casa quando sofreu o acidente.

Na quinta-feira (13) o quadro do agricultor piorou. Transplantado, ele passou por uma nova cirurgia. Além do problema no intestino, que ocorreu em função de uma arritmia cardíaca, o homem teve o agravante por ser hipertenso. (Do site G1)


SAIBA MAIS:


Morador do município de Campina das Missões, o homem de 56 anos precisou viajar até a cidade vizinha e aguardar por uma cirurgia por cerca de duas horas na segunda-feira (10). Ele usava a motosserra para cortar lenha no galpão de casa quando sofreu o acidente.

O homem pediu ajuda à esposa Frida Maria Steinmedc, que lembrou de uma lição aprendida nas aulas de primeiros socorros que fez para obter a permissão para dirigir. “Ele queria tirar e eu disse que não, não poderíamos tirar, tínhamos de ir ao hospital”, conta a agricultora.

O casal deixou a residência em Campina das Missões e, após um primeiro atendimento no município, soube que teria de viajar até o Hospital Vida e Saúde, de Santa Rosa. Segundo Steinmedc, foram duas horas com a motosserra presa ao abdome. “Eu tinha fé. Sou forte. Não tinha medo de morrer”, declarou.


A cirurgia durou outras duas horas e meia. Segundo o cirurgião Maurício Romano, responsável pelo procedimento, o corte causado pela motosserra teve 10 cm de profundidade, mas não perfurou nenhum órgão vital.

“Houve um tratamento pré-hospitalar adequado. A equipe de enfermagem de Campina das Missões não retirou a serra. Se tivesse retirado a serra durante o transporte, poderiam ter tido uma hemorragia da parede abdominal e causado a morte imediata", comentou o cirurgião.


Steinmetz havia se acidentado em casa enquanto cortava lenha, na cidade vizinha de Campina das Missões, e foi socorrido e transferido de ambulância para o hospital Vida e Saúde, em Santa Rosa. A cirurgia para retirada do equipamento foi bem-sucedida. Entretanto, devido ao histórico de saúde do agricultor, houve uma piora que o levou à UTI.

Conforme o hospital, Steinmetz morreu às 4h15 deste sábado depois de um choque séptico (infecção), devido ao infarto mesentérico do intestino. Este problema ocorreu em função de uma arritmia cardíaca na última quarta-feira. O paciente também era hipertenso e transplantado de rim.

No dia do acidente com a serra, Steinmetz foi atendido pela mulher, Frida Maria Steinmedc, que convenceu o marido a não arrancar a máquina do corpo. Ele foi atendido no pequeno hospital do município, mas encaminhado ao Vida e Saúde. Por todo o trajeto, uma enfermeira viajou segurando a serra para evitar que a lâmina se movimentasse e ampliasse o ferimento.

A operação em Steinmedc durou duas horas e meia. "A cirurgia foi um sucesso, e o paciente está tendo uma recuperação satisfatória", disse na quarta-feira o médico Maurício Romano. Segundo ele, a lâmina, que fez um corte de dez centímetros em seu abdome, não atingiu nenhum órgão vital. Ainda assim, ele não resistiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.