Mostrando postagens com marcador orgasmos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador orgasmos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 6 de novembro de 2012

A vagina fica larga com mais relações sexuais?



A vagina fica larga com mais encontros sexuais?


vagina da mulher não muda permanentemente devido a atividades sexuais penetrantes de acordo com Kimberly Williams, da Universidade de Purdue, nos EUA.
Quando as mulheres estão excitadas o canal da vagina fica lubrificado, relaxa e o colo do útero é empurrado para cima para criar mais espaço.
“Isso não indica que ela teve muitos encontros sexuais”, ela disse.
Stephanie Saur, cientista da cinesiologia (a ciência que estuda o movimento), disse que a forma da vagina é diferente em cada uma das mulheres devido à tipos anatômicos diferentes. Aprofundidade da vagina tem uma média de 10cm e não muda com base nos encontros sexuais.
Se ela é “apertada” isso pode ser sinal de que ela não está totalmente excitada ou pronta para a penetração. Exercitar a vagina com os exercícios de Kegel podem ajudar a estimular e treinar as paredes da vagina e também melhoram o prazer do sexo durante a relação, de acordo com Stephanie. Saiba como praticar os exercícios de Kegel.
CONCLUSÃO
vagina não fica mais larga devido à quantidade de encontros sexuais. [Purdue Exponent, foto de Soleá]

12 Segredos para melhores orgasmos femininos

Muitas andam tristes, pois acham que tem problemas para atingir o orgasmo. Algumas até sentem obrigadas a fingir na cama. Mas isso pode ser apenas questão de deixar as pressões de lado e utilizar a técnica certa. Aprenda aqui algumas infalíveis, sem injeções no ponto G ou implantar um chip, que envolvem conhecer os músculos, treinar o corpo facilmente, etc. Mas lembre-se, se você é brasileira, já é um bom começo
1. Acerte os pontos quentes
Uma posição de fricção pode ajudar você a chegar ao orgasmo durante a relação. A mulher deve ficar acima para que o clitóris toque o osso pubiano do parceiro. Ou ela deve deitar-se de costas com um travesseiro sobre as nádegas. Elas podem até tentar utilizar um vibrador durante a relação, diz a Ph.D Laura Berman, professora de obstetrícia da Northwestern University (EUA).
2. Diga como se faz
“Os homens querem instruções”, disse Laura. Ela deve dizer se ele está no caminho certo, seja falando que está ótimo ou gemendo.

3. Aprenda sobre si

Você não pode dizer como se faz se você não sabe o que a excita. “Para fazer um treinamento corporal para ser orgástica, você deve masturbar-se”, disse Danielle Cavallucci, uma treinadora sexual da empresa de informações sexuais Sexuality Source.

4. Exercite a musculatura do orgasmo

“Os exercícios de Kegel são os clássicos para as mulheres que querem transformar orgasmos fracos em fabulosos”, disse a educadora sexual Dorian Solot. Para localizar esta musculatura na pélvis você deve parar, durante o ato de urinar, nomeio do caminho. Então os exercite enrijecendo-os e soltando (quando você não estiver urinando). Faça isso todos os dias, várias vezes ao dia. Não se esqueça de continuar respirando enquanto aperta a musculatura.
5. Se arrisque
Pesquisas mostram que assumir comportamentos que busquem “adrenalina” juntos (seja escalar paredões ou apenas assistir um filme assustador) estimulam a dopamina no cérebro, o que faz com que seus fluídos circulem.

6. Atrase o prazer

“Quanto mais longo o período de excitação, maior a explosão”, disse Dorian. Chegue próxima do orgasmo e então retorne ao “banho Maria”. Repita isso algumas vezes antes do clímax.
7. Respirar em uníssono
Sexo tantra pode soar meio new age, mas seu princípio principal — focado na respiração — pode aumentar seu prazer. Parceiros que respiram simultaneamente podem frear a pressa do orgasmo e criar uma maior expectativa, o que pode intensificar o prazer.

8. Filmes eróticos

Pornografia é exclusivamente sobre grandes pênis e gargantas profundas. No entanto os livros e filmes eróticos podem ter bom gosto e ser excitantes, e quanto mais excitada, melhores as chances de orgasmo. Dê preferência para os filmes que tenham uma trama e cenas quentes.

9. Tente preliminares criativas

Se seu (a) parceiro leva mais tempo para “esquentar” adiante-se ao enviar e-mails ou mensagens de texto sensuais (mas não muito gráficas, pois os e-mails não são necessariamente privativos).

10.Verifique seus medicamentos

As mulheres tem maiores chances de tomarem antidepressivos, que podem atingir a vida sexual. Se estiver tendo problemas converse com seu médico sobre seus medicamentos.

11. Procure ajuda cedo

Se você não tem orgasmos, conselhos de um (a) profissional podem ajudar. Danos em nervos ou baixa testosterona podem ser o problema. Apenas “seu médico (a) pode fazer uma análise médica”, disse Laura, “ou pense em fatores da relação” e procure um terapeuta sexual.

12. Relaxe

Em um estudo recente feito na França com mais de 500 mulheres, 70% disse que estresse no trabalho comprometia a libido. E baixa libido, obviamente, leva a menores chances de orgasmo. Portanto deixe as distrações da vida na porta do seu quarto. [Fonte]



quarta-feira, 30 de maio de 2012

Desordem hormonal faz mulher ter orgasmos quando 'come demais'


Desordem hormonal faz mulher ter orgasmos quando 'come demais'




Ela tem uma desordem que confunde os prazeres gastronômicos com os dos 'países baixos'

Gabi, em uma noite de praze
Uma das grandes questões em relação ao sexo é como levar uma mulher ao orgasmo. Com Gabi Jones, uma garota de 25 anos de Colorado (EUA), essa história é um pouco diferente...

Segundo o site Oddity Central, Gabi foi diagnosticada com um estranho caso de desordem genial, que faz ela ter orgasmos sem nenhum estímulo nos "países baixos". Só que, quando ela experimenta as comidas que gosta, dá uma "coisinha lá em baixo".

Algumas mulheres ficariam preocupadas com o fato de se sentir "comida", mas ela não fica. Foi tanto prazer na vida que ela já está bem pesadinha: foi de 90 kg para 204 kg! E ela se diz feliz com seu corpo.
- Quando eu me satisfaço, eu nunca corro. Eu vou devagar, porque toda refeição é como uma experiência sexual.

Ela diz saber que precisaria de "alguns homens" para dar a ela o mesmo prazer que a comida dá. Fora isso, ela não está nem aí para as pessoas que a acham gorda demais - até porque, apesar de ter obesidade mórbida, ela é totalmente saudável.

Fonte: 180graus

domingo, 20 de maio de 2012

Homens que não se barbeiam têm menos orgasmos



Homens que não se barbeiam têm menos orgasmos



Homens, aparelhos de barbear a mão! É que um estudo de uma universidade da Inglaterra revelou que os homens que não se barbeiam todo dia possivelmente terão uma vida bem menos feliz do que os caras que estão todo dia com uma cara de bundinha de nenê.

Para começar, o estudo diz que os homens que não se barbeiam todos os dias possuem menos chances de se casar e maiores chances de se tornarem trabalhadores braçais. Eles também têm menos orgasmos, tendem a ser mais baixos e sofrem mais de problemas cardíacos.


O estudo feito por uma equipe da Universidade Bristol, que examinou a relação entre o ato de se barbear e doenças cardíacas em 2.438 homens de meia-idade, revela também que os não-barbeados possuem uma vida sexual menos ativa e têm risco 70% maior de sofrer um enfarte.

No transcorrer de 20 anos de estudo, houve 835 mortes entre os homens analisados, escreveram os pesquisadores em um artigo publicado na revista American Journal of Epidemiology. No total, 45% dos homens que não se barbeavam todos os dias morreram, contra 31% do outro grupo.

Uma boa parte das mortes estava relacionada a um alto índice de tabagismo e a estilos de vida menos saudáveis entre os integrantes do primeiro grupo. Mas, segundo os cientistas, isso não explica os riscos maiores de sofrer um enfarte.

"A relação entre um barbear freqüente e a morte é provavelmente devida a fatores como o fumo e estilo de vida, mas um pequeno efeito hormonal também deve ser computado", declarou Shah Ebrahim, do departamento de medicina social.

Para Ebrahim, a relação entre a freqüência do barbear e a saúde cardíaca continuava a existir mesmo depois de descontados os fatores externos. (www.humornaciencia.com.br)


Dicas para um barbear perfeito

Você sabia que a barba de um homem adulto cresce em média um centímetro por mês? E que, se você é daqueles que gosta de manter o rosto livre de pêlos, vai passar pelo menos 3 mil horas de sua vida barbeando-se? Todo esse tempo passado em frente ao espelho certamente vai garantir uma aparência mais leve ao seu rosto. Por outro lado, a agressão constante da lâmina de barbear pode causar alguns transtornos e comprometer a saúde de sua pele.

A dermatologista Flávia Addor, da clínica Medcin Instituto da Pele e médica parceira da Natura, aponta como problemas mais freqüentes as irritações decorrentes dos machucados da lâmina, o ressecamento da pele e a pseudofoliculite (pêlos encravados), comum em homens de barba cerrada ou pêlos muito crespos.

Conselhos preciosos
No caso de homens de raça negra, os pêlos cacheados costumam se retorcer e penetrar novamente na pele durante o crescimento, causando a inflamação da derme dois ou três dias após o barbear.

Homens de pele muito sensível também sofrem com os efeitos da lâmina. As bolinhas vermelhas que se formam no local costumam ser doloridas, além de abrirem espaço para a ação de bactérias e fungos que causam infecção. Por isso, para amenizar esses problemas, é cada vez mais importante combinar a tarefa de fazer a barba com o hábito de tratar a pele.

Além de garantir a boa aparência, você estará cuidando da saúde e do seu bem-estar. Para um barbear perfeito, informa Flávia Addor, é importante o uso de produtos específicos para esse fim, que podem ser encontrados na forma de mousse, creme ou gel. "Eles hidratam a pele, amolecem os pêlos mais rapidamente e facilitam o deslizamento da lâmina no rosto", afirma.

O Gel Espumante para Barbear e o Creme de Barbear Não-espumante, ambos da Linha Natura Homem, são exemplos de produtos que proporcionam um barbear suave e confortável e protegem a pele contra as irritações mais comuns. Ao ser espalhado no rosto, o Gel Espumante transforma-se em uma espuma que facilita o deslizamento da lâmina sobre a pele. Já o Creme de Barbear, devido à sua fórmula não-espumante, além de cuidar da pele, é especialmente recomendado aos homens que mantêm parte da barba, pois permite a perfeita visualização dos pêlos a serem eliminados.

Seja qual for o produto escolhido, é importante que ele seja aplicado em boa quantidade e espalhado como se você estivesse massageando o rosto. Os movimentos circulares ajudam a amaciar a pele e facilitam a retirada dos pêlos. O uso de bálsamos e loções pós-barba, observa Flávia Addor, é essencial. Esses produtos têm efeito suavizante e conferem à pele uma sensação de limpeza e frescor muito agradável. Eles também restabelecem a hidratação natural da pele, protegendo-a das agressões externas.

Uma boa opção é o Gel Após Barba, de Natura Homem, que além de hidratar sem deixar a pele oleosa e proporcionar uma sensação de frescor, reduz irritações e vermelhidões comuns ao barbear e inibe a formação de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento da pele.

Dicas importantes

 Os melhores momentos para remover os pêlos da barba são logo após o banho, quando o rosto está úmido e a pele mais macia, ou à noite, quando o rosto tem mais oleosidade natural e a pele está relaxada;


  •  Antes de aplicar o creme de barbear, lave o rosto com água morna para abrir os poros;
  •  Comece pelas áreas com pelos mais macios, como as faces do rosto e o pescoço;
  •  Utilize lâminas novas, pois elas cortam melhor e provocam menos ferimentos;
  •  Ao movimentar a lâmina, acompanhe o sentido em que os pelos crescem;
  •  Ao finalizar o processo, enxague o rosto com água em abundância e não esfregue a toalha no rosto, apenas seque-o levemente;

 Se a sua pele é muito sensível, evite usar bronzeadores ou filtros solares imediatamente após o barbear. Evite também fazer a barba no mesmo dia em que irá nadar, pois o cloro e o sal da água irritam a pele;

 Durante o fim de semana, dê um descanso para o seu rosto.

www.maisquebeleza.com

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Gel íntimo promete orgasmo de 15 minutos


Gel íntimo promete orgasmo de 15 minutos
O produto é vendido em lojas especializadas e chama a atenção pelas promessas milagrosas


R$ 69,90. Esse é o preço médio que você precisa desembolsar para conseguir ter orgasmos de 15 minutos de duração. Pelo menos é o que promete o Gel Orgasm, da Santo Cosméticos, feito com extratos fitoterápicos. O produto age por meio de uma oscilação do pH, que proporciona sensações na vagina ou na pele trazendo um toque de refrescância com uma leve sensação de formigamento.

Segundo instruções do fabricante, o gel deve aplicado em movimentos suaves de massagem na região íntima feminina (grandes lábios e vulva), provocando o aumento da libido da mulher, que pode estar sozinha ou acompanhada.

Ao saber do lançamento do gel, a transexual Monique Top se mostrou interessada. "Nunca usei, mas me parece uma boa sugestão. Me conte tudo", pediu antes de descobrir que a substância é destinada às mulheres. "Já usei vários produtos semelhantes, aqueles que esquentam na penetração, lubrificantes com sabores. Acho que é divertido. Apimenta e diferencia a relação, sai um pouco da mesmice. É sempre bom inovar quando se trata de sexo e só tende a somar", acredita.


Mas, para o sexologista e terapeuta sexual João Borzino, as promessas são enganosas e tudo isso não passa de uma grande balela para ganhar dinheiro.  "É impressionante como tem gente com a cara de pau de produzir uma meleca dessa e prometer um absurdo desse tipo. O orgasmo é um fenômeno psíquico e depende da entrega de cada um ao desejo, não há como terceirizar", garante.

Ainda de acordo com o especialista, a mulher pode ter orgasmos múltiplos, sim, mas nenhuma mistura será capaz de levá-la ao clímax. "A mulher tem de vencer as barreiras da repressão sexual, do machismo e da restrição do prazer. Tem de aprender a valorizar e conhecer seu corpo para se entregar ao prazer intensamente. Só isso, sem gel nenhum", ressalta. "Isso é uma exploração, charlatanismo e abuso da fragilidade feminina, pois é sabido que as mulheres têm muitos problemas com o orgasmo", complementa.

Além de todas as promessas que podem não ser cumpridas, a dermatologista Thais Pepe alerta para os males que essas fórmulas causam à pele dependendo da forma de uso. "Elas podem dar dermatite de contato e causar um eczema na região. Se a paciente desenvolver alergia ao material, ela não deve usar de maneira alguma, pois não existe uma forma de proteção".


Irkeyn/Shutterstock
Tatiane Moreno

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Os mitos e as verdades sobre o orgasmo

Especialistas desvendam os mitos e as verdades sobre o orgasmo


No dicionário ele aparece com a seguinte descrição: "sm (do gr orgázo) 1. Excitação do funcionamento de um órgão, muitas vezes com turgescência. 2. Grau máximo de excitação na cópula carnal, com satisfação do desejo venéreo".

Mas, na prática, uma única palavra pode resumir tudo isso: orgasmo.

Considerado ainda um tabu, o orgasmo nada mais é do ápice do prazer ou o que chamamos de clímax. Porém, alcançá-lo não é tão simples quanto parece: exige muito estímulo e excitação.

Algumas mulheres dizem que quando "ele" dá as caras é algo indescritível. "Sempre quis explicar, mas nunca consegui, é muito estranho. Muitas amigas minha dizem que é a mesma sensação de comer chocolate. Eu não acho, apesar de amar chocolate", afirma a assessora de imprensa Angélica Motta, de 37 anos.

Outras vão além e descrevem como "algo maravilhoso e emocionante" ou que "é como estar descendo na maior montanha russa do mundo". O fato é que quem sentiu sabe que já teve um, mas quem tem dúvidas provavelmente não chegou "lá".

Para esclarecer algumas dúvidas que giram em torno do assunto, o eBand conversou com a ginecologista Flávia Fairbanks, especialista em Endometriose, Sexualidade Humana e Reprodução Humana, e com o sexologista e terapeuta Sexual João Borzino.

Durante a entrevista, eles falaram sobre os mitos e as verdades do ponto máximo do prazer.

O orgasmo é sempre muito intenso.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. De acordo com a intensidade do estímulo e disposição da mulher, bem como o grau de excitação, pode haver diferentes graus de contração da musculatura profunda da pelve, que é a principal sensação percebida no orgasmo.

Dr. João Borzino: Mito. O orgasmo vai desde um "arrepio" até um "tsunami". Tudo depende do estado de excitação que se atinge. As mulheres levam vantagem: ainda por cima podem ter orgasmos múltiplos.

É possível atingir o orgasmo nas preliminares.
Dra. Flávia Fairbanks: Verdade. Se a paciente estiver no grau máximo de excitação não será necessário estímulo acessório, só os estímulos das preliminares já podem conduzí-la ao orgasmo.

Dr. João Borzino: Verdade. É possível e saudável. As pessoas elegem a penetração como o momento mais importante e seria um desperdício ter um orgasmo nesse momento. Nada a ver, bobagem!

O orgasmo masculino é a ejaculação.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. O orgasmo masculino também é representado pelas contrações musculares da pelve que, por si, desencadeiam a ejaculação.

Dr. João Borzino: Mito. Orgasmo e ejaculação são coisas distintas. Aqui no Ocidente costumam acontecer juntas, porém em alguns lugares do Oriente existem homens que têm o orgasmo, mas não ejaculam.

O tempo do orgasmo masculino e feminino é igual.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. A intensidade das contrações e sensações pode variar de acordo com o estímulo prévio.

Dr. João Borzino: Mito. O orgasmo feminino tende a ser um pouco mais longo.

A mulher atinge o orgasmo em todas as relações sexuais, mesmo sem perceber.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. Há muitas mulheres que se sentem satisfeitas com o ato sexual sem que, necessariamente, tenham sido desencadeadas as sensações do orgasmo.

Dr. João Borzino: Mito. O orgasmo sempre é perceptível. Quem nunca teve é que fica em dúvida. A mulher pode muito bem ter uma relação sem orgasmo. Tudo depende do momento e de seu estado de humor.

Ansiedade, estresse e nervosismo podem dificultar o orgasmo.
Dra. Flávia Fairbanks: Verdade. A paciente pode não conseguir relaxar o suficiente para atingir esse grau de sublimação.

Dr. João Borzino: Verdade. Essas situações podem atrapalhar qualquer coisa na vida.

O verdadeiro orgasmo só ocorre quando existe amor entre o casal.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. O orgasmo é secundário a estímulos sexuais que podem ocorrer mesmo sem envolvimento amoroso entre o casal. O necessário é um bom entrosamento "sexual", mas , sem dúvida, quando além disso também há amor, o sexo é muito melhor.

Dr. João Borzino: Balela gigante. Orgasmo é orgasmo, o que muda é a intensidade. Claro que quanto melhor a sintonia do casal, melhor ele pode ser.

Homem e mulher devem sentir orgasmo ao mesmo tempo para ser prazeroso.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. A velocidade da obtenção do orgasmo não tem relação direta com a satisfação, ambos podem se sentir satisfeitos mesmo que um deles nem tenha atingido o orgasmo.

Dr. João Borzino: Mito. Uma das maiores baboseiras já idealizadas. Este tipo de besteira ainda por cima leva à pressões inúteis e que prejudicam gravemente a interação do casal. Cada um no seu tempo!

Não é possível que a mulher atinja o orgasmo com sexo oral ou anal.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. Os estímulos com sexo oral e anal podem ser suficientemente intensos a ponto de desencadear o orgasmo.

Dr. João Borzino: Mito. Existem mulheres que atingem o orgasmo só de fantasiar uma situação, sem nem se tocar ou ser tocada. O orgasmo é um fenômeno psíquico e depende de quanto e como cada um permite se estimular. Só!

A mulher só sente que atingiu o orgasmo quando solta um líquido igual ao do homem.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. Poucas mulheres soltam líquido no orgasmo, mas a maioria sente as contrações musculares pélvicas.

Dr. João Borzino: Mito. Mulheres não ejaculam. A chamada ejaculação feminina não é uma ejaculação real. É sabido que aproximadamente 20% das mulheres podem produzir um excesso de lubrificação que pode ser expelido em esguicho com a contração pélvica na hora do orgasmo.

A posição do casal influencia na hora de atingir o orgasmo.
Dra. Flávia Fairbanks: Verdade. Quanto mais estímulo houver sobre a região clitoriana, maior a facilidade feminina de atingir o orgasmo.

Dr. João Borzino: Verdade, pois isso depende do gosto de cada um. Toda posição que for mais estimulante e excitante facilita tudo. Não existe fórmula: isso depende do gosto, é individual e varia com o estado de humor.

É possível ter mais de um orgasmo em uma única transa.
Dra. Flávia Fairbanks: Verdade. A mulher pode ser reconduzida a um estado de alta excitação e ter mais de um orgasmo, mas isso não é regra e não ocorre com todas as mulheres, havendo aquelas que relaxam muito após um orgasmo e precisam descansar.

Dr. João Borzino: Verdade. Isso é mais fácil para as mulheres. Homens geralmente precisam de um tempinho para se recuperar.

O uso da camisinha dificulta o orgasmo da mulher.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. Se houver estímulo intenso sobre o clitóris ou vagina é possível ter orgasmo tão bem quanto sem a camisinha.

Dr. João Borzino: Bobagem. O que interessa é o estímulo da penetração e como a mulher recebe o estímulo.

O homem sempre sabe quando a mulher finge o orgasmo.
Dra. Flávia Fairbanks: Mito. Quem percebe a sensação é a mulher, que é a única capaz de saber se teve ou não as contrações ou se fingiu.

Dr. João Borzino: Nem sempre. Tem cada artista por aí...

Movimentos frenéticos ajudam a alcançar o orgasmo.
Dra. Flávia Fairbanks: Meio mito, meio verdade. Se esses movimentos ajudarem a mulher a friccionar o clitóris eles podem ajudar a alcançar o orgasmo.

Dr. João Borzino: Meio mito, meio verdade. Isso depende de cada um.

Não chegar ao orgasmo com frequência indica um problema de saúde.
Dra. Flávia Fairbanks: Verdade. Se a paciente nunca atingiu o orgasmo pode ser portadora de anorgasmia, transtorno que deve ser abordado por especialista, pois exige tratamento. Isso só vale para a paciente que se queixar de que isso é realmente um problema para ela. Existem mulheres que não atingem orgasmo frequantemente, mas isso para elas não é problema, pois ficam satisfeitas mesmo nas relações em que não têm orgasmo; nesses casos não há problema de ordem sexual ou médica, é muito importante ressaltar essa informação.

Dr. João Borzino: Significa que a pessoa anda muito estressada, magoada com o parceiro ou teve uma criação muito repressora que inibe a entrega e prejudica o orgasmo. Sendo assim, precisa de tratamento.

Fonte: Eband

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Orgasmo: Incríveis fatos que você não sabia


A escritora de livros científicos, Mary Roach, citou 10 fatos surpreendentes sobre orgasmos. Enquanto as mulheres passam muito tempo lendo artigos, tentando novos brinquedos e usando novas maneiras de fantasiar, você pode estar mais interessado em saber que orgasmos podem acontecer biologicamente sem nem ao menos tocar os genitais.

Abaixo vamos citar alguns dos fatos, para saber de todos assista o vídeo que, até o momento, está disponível apenas em inglês, infelizmente.

1.Alguns acham que bebês se masturbam no útero. Há imagens de ultrasson em que os fetos realmente estão tocando o que viria a ser seus genitais, em um movimento era similar à masturbação.

2.Algumas pessoas reportaram orgasmos sem sequer se tocar. A palestrante afirma ter entrevistado uma mulher que consegue ter um orgasmo apenas com a força do pensamento. Ela diz ter presenciado isso enquanto a entrevistava. A escritora explica que o estímulo sexual é uma parte do sistema nervoso, assim como a respiração e o batimento cardíaco. Portanto, não é algo que temos controle direto.

3.Orgasmos acontecem com pessoas mortas, isto é, em morte cerebral. Se os nervos sacros na espinha são oxigenados e estimulados, não há motivos pelos quais uma pessoa morta não possa alcançar o climax.

4.Orgasmo pode causar mau hálito. Médicos detectaram um odor nas línguas de mulheres depois de mais de uma hora que ela tiveram relações sexuais.

5.Orgasmo pode curar soluço. Um homem com soluço incurável foi curado abruptamente depois que ele teve um orgasmo com sua esposa.

6.Médicos já pensaram que o orgasmo torna a concepção mais fácil. Houve uma teoria entre os médicos, há cem anos atrás, de que contrações vaginais ajudavam a sugar o sêmen pelo cérvix. Mas, depois de uma investigação mais a fundo pela equipe de pesquisa Masters e Johnson, nos anos 50, desmentiu a teoria. Eles implantaram um sêmen artificial no cérvix de uma mulher e estudaram se ele foi mais longe depois do orgasmo, o que não aconteceu.

7.Para saber dos demais fatos, assista o vídeo.


Fonte: hypescience.com

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Orgasmos múltiplos é possível para todas as mulheres?


Só 20% das mulheres têm orgasmos múltiplos com frequência, mas isto não quer dizer que as outras não possam conseguir isto também. Toda mulher tem a capacidade de ser 100% feliz na cama, mas isto requer informação, dedicação e interesse. As mulheres que decidem se conhecer melhor e contam com a ajuda do parceiro certamente vão ter uma vida sexual plena.

Fonte: oglobo.globo.com

segunda-feira, 16 de março de 2009

Injeção de colágeno poderá aumentar a frequência de orgasmos das mulheres


Aumentar a frequência de orgasmos das mulheres é objetivo da injeção de colágeno

Uma nova técnica — em fase experimental — poderá proporcionar às mulheres vida sexual mais satisfatória. Cirurgiões plásticos americanos e brasileiros já estão testando a injeção de colágeno, que pretende aumentar a frequência de orgasmos femininos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa a liberação da novidade, um dos temas do 10º Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica (São Paulo), esta semana.

“Cerca de 30% das mulheres no mundo não têm orgasmo. Esta técnica pode melhorar a qualidade dos relacionamentos”, considera o cirurgião plástico Evaldo Bolívar. O procedimento consiste em se detectar, por exames com estímulos eletrônicos, o ponto mais sensível da vagina da paciente. Uma vez identificada a região, ela recebe anestesia e, em seguida, a injeção de colágeno.

Com isso, o ponto mais sensível tem sua área e sua sensibilidade ampliadas, melhorando a vida sexual da mulher”, diz o cirurgião plástico Murillo Caldeira Ribeiro, que já testou a técnica em 500 brasileiras. O colágeno, uma proteína, já existe no organismo humano: é um dos principais componentes de pele, ossos, cartilagens e tendões. Sua função é ligar e sustentar as células.

O procedimento dura 15 minutos e a paciente pode ir para casa logo após. A única recomendação é não ter relações sexuais por 25 dias. Se a técnica for liberada pela Anvisa, será feita em consultórios pelo valor de R$ 2,5 mil. E deverá ser refeita a cada ano, pois o colágeno é absorvido pelo organismo, deixando de atuar.

A esteticista Silvana Machado, 24 anos, foi voluntária do novo tratamento há três meses e garante que melhorou sua vida sexual. “Meu marido ficava chateado por eu não ter orgasmo, então resolvi participar da pesquisa. Adorei o resultado. Chego a sentir mais de um orgasmo em uma relação só. Pretendo refazer o procedimento daqui a um ano”, afirma.

TERAPIA TÂNTRICA

Já para mulheres que preferem trabalhar os aspectos emocionais a longo prazo para sentir mais satisfação sexual, a terapia tântrica pode ser uma opção. Segundo a terapeuta Tânia Barros, são 4 meses de terapia em grupo. “A autopercepção do corpo e a noção de conhecimento das emoções são fortes aliadas para melhorar o desempenho sexual. Utilizo vendas nos olhos, aromas e sabores que estas mulheres exploram. Há, ainda, meditação e massagem. Tudo em forma de um ritual. O objetivo destes encontros é a busca do equilíbrio entre corpo, mente e espírito”, diz Tânia.

Fonte: O DIA ONLINE - MARIANA MULLER, RIO DE JANEIRO

domingo, 11 de janeiro de 2009

Homens: orgasmos sem beijos

Pesquisa revela que maioria dos homens não beija durante o sexo

28/08/2008 - 08h08 ( - G1)


foto: Divulgação
Divulgação
Sexólogo Amaury Mendes diz que a maioria dos homens pula a fase do desejo

Ele acelera o ritmo cardíaco, aumenta a temperatura da pele, queima em média 12 calorias, ativa 29 músculos e, quando muito intenso, estimula a produção de endorfina, a famosa substância química que dá a sensação de bem-estar. Essas são algumas das reações que o beijo produz no indivíduo, mas uma pesquisa feita no ambulatório de Sexualidade Humana da Clínica Delphos apontou que 70% dos 154 homens avaliados não beijam na boca durante o sexo.

O responsável pela análise é o sexólogo Amaury Mendes, que discutirá o tema na XVI Jornada Científica Delphos, no dia 6 de setembro, no Humaitá, Zona Sul do Rio. Mendes fez a pesquisa qualitativa com os pacientes de um ambulatório no Instituto Delphos, onde atende de graça a pessoas de baixa-renda, que ganham até três salário mínimos. As entrevistas foram feitas com os homens, a maioria na faixa dos 40 aos 60 anos, e com problemas sexuais como disfunção erétil, ejaculação precoce e falta de desejo.

"A conduta sexual humana deveria respeitar a seguinte ordem: desejo, excitação e, por último, orgasmo. Mas, com a supervalorização do orgasmo, a maioria pula a fase do desejo e vai direto pra a excitação. E aí não tem beijo, abraço, nem carinho. Só que eles se esquecem que o beijo é um fator essencial para se atingir o orgasmo", diz o sexólogo. 

Mendes ressalta que, apesar de o estudo ter sido feito com uma parcela da população com menor poder aquisitivo, esse problema também atinge as classes média e alta: "É fato que, quanto maior a renda e o grau de instrução, melhor o desdobramento desse assunto. Porém, o que está em jogo hoje é a questão da falta de tempo e a necessidade emergencial do orgasmo e isso atinge toda e qualquer classe".

A falta de tempo é inimiga do orgasmo

O sexólogo explica que o estresse do dia-a-dia, as dificuldades financeiras e a correria do mundo moderno são fatores que impedem o homem de se dedicar à afetividade, às preliminares e, desta forma, o sexo se torna imediatista. A conseqüência é o afastamento dos casais. Segundo Mendes, o beijo é a base para a busca do prazer no sexo.

"O beijo está ligado aos nossos cinco sentidos - tato, olfato, visão, audição e paladar ?, você olha nos olhos, vê a verdade no outro, cria um vínculo."

Prostitutas não beijam

O sexólogo explica que, um bom exemplo de que o beijo representa um compromisso sério é: jamais ser incluído nos programas de prostitutas. Há cerca de um ano ele e sua equipe entrevistaram 28 garotas de programa na Avenida Atlântica, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, e constataram o que já é lugar comum:

"Todas disseram que já aceitaram propostas bizarras, mas não aceitam dar beijo na boca. Muitas delas têm namorado ou tem filho e disseram que, nem pagando, dariam o beijo."

Uma questão biológica 

De acordo com Mendes, tanto a mucosa labial quanto a genital são enervadas pela medula. A primeira está mais próxima do cérebro e, por isso, recebe os estímulos sexuais de uma maneira mais eficaz. Ambas possuem o mesmo numero de terminações nervosas e, portanto, o mesmo potencial erótico.

"Nós fazemos um trabalho, com as pessoas que buscam a terapia sexual, para tentar um recomeço do namoro entre o casal. Claro que usamos medicamentos em alguns casos, mas idéia é que o remédio seja eliminado. Propomos exercícios específicos de sensualidade, procurando desvincular sexo de afeição e estimulando carinho, beijos e, conseqüentemente, a aproximação do casal."


Fonte: A Gazeta

domingo, 4 de janeiro de 2009

Pêlos grossos indicam orgasmos femininos mais fáceis

Esses pêlos indesejados podem ser um bom sinal
Esses pêlos indesejados podem ser um bom sinal
A presença deles é sinal de características anatômicas mais propícias para o orgasmo sem a necessidade de estímulo do clitóris

Uma pesquisa realizada na Universidade de L’Aquila, na Itália, descobriu que mulheres com mais pêlos são mais, digamos, felizes no sexo. Isso porque a presença desses pêlos mais grossos, escuros e longos, embora seja indesejada e combatida com muita depilação, é um sinal de nível maior de testosterona.

Nesses casos de nível mais alto do hormônio, existem diferenças anatômicas: o tecido é mais grosso entre a vagina e a uretra. Emmanuele Jannini, a responsável pela pesquisa, constatou que essa anatomia está mais presente entre as mulheres que afirmam ter orgasmos vaginais com facilidade, sem estímulo do clitóris. As que precisam de “extras” tem o tecido mais fino – e menos pêlos.

domingo, 4 de maio de 2008

Técnica é capaz de multiplicar o número de orgasmos da mulher

Vídeo: PASP - ORGASMOS & LASPI


Orgasmo à venda


A novidade é quente. Uma técnica que custa cerca de R$ 3 mil seria capaz de multiplicar o número de orgasmos da mulher. Para quem já consegue chegar lá, ótimo. Mas para quem tem dificuldade, melhor. A idéia virou coqueluche nos Estados Unidos e acaba de desembarcar no país.

Trata-se de aumentar o Ponto G - aquele mesmo, que sempre gera o maior rebuliço no mundo científico. A última notícia que se tem sobre ele é a confirmação de sua existência por parte de pesquisadores italianos, embora muitos outros especialistas ainda não queiram admitir essa possibilidade.

Bom, se temos um botãozinho do prazer, então precisamos fazer bom uso dele. Certo? Acontece que nem sempre é tão fácil apertar esse gatilho. "Principalmente depois que se tem filhos via parto normal, em que a vagina alarga e esse ponto fica mais difícil de ser estimulado", explica o ginecologista e cirurgião plástico paulista Murillo Caldeira – que aposta na nova técnica e diz "ter feito diversas mulheres felizes com isso".

O método preenche, com uma substância chamada ácido hialurônico, a parte superior do canal vaginal, que fica a 4 cm da base. "Essa região é a parte que dispara o orgasmo vaginal. Ampliada, essa parte facilita o estímulo e, conseqüentemente, as sensações que se tornam mais intensas", aponta Caldeira. Para não doer nadinha, o cirurgião usa uma anestesia tópica antes da injeção. Após 15 dias, é possível retomar a vida sexual.

POLÊMICA

É no material usado para isso que está a polêmica da técnica. Como o ácido hialurônico é absorvível, muitos médicos vêem perigo para o organismo. Murillo Caldeira rebate: "Na prática não é bem assim. Não há restrições a respeito do ácido hialurônico em diversas partes do corpo, então não é preciso ter para a área genital também", explica.

O ácido hialurônico é indicado e muito usado para o preenchimento de rugas, como a conhecida como "bigode chinês", em volta da boca.

Outra desconfiança dos médicos é em torno da existência do Ponto G. O cirurgião plástico Ariosto Santos desconfia das descobertas dos cientistas italianos, de que ele exista. "Como não há comprovação científica de que o Ponto G existe e onde ele fica exatamente, é difícil acreditar nessa novidade. Só se sabe que o tecido mais espesso da vagina é o local que causa as sensações mais orgásticas", explica. Ele é avesso à novidade, por ser uma solução muito simples e generalista. "Essas soluções muito mirabolantes não são muito indicadas", emenda.

Para as mulheres chegarem lá, Ariosto Santos prefere sugerir o investimento na parte emocional. "O psicológico é uma área muito mais possível de ser trabalhada, e dá resultados mais eficazes nesse sentido".

Já para as mais afoitas que vivem em busca de prazer fast-food, a procura pela "injeção da felicidade" pode ser uma saída. Só é difícil encontrar vaga. Nas clínicas de Murilo Caldeira, no eixo Rio-São Paulo, há fila de espera para se submeter à técnica.

Fonte: A Gazeta

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Orgasmo: O que você precisa saber

Vídeo: Oh Gode


Dez mentiras e verdades sobre o orgasmo
Esclareça suas dúvidas sobre esse tema e deixa a sua vida ainda mais prazerosa


1. É mais fácil para a mulher atingir o orgasmo quando está na posição por cima do homem: Verdade
Isso ocorre porque ela pode friccionar o clitóris no púbis do homem enquanto se movimenta, aumentando as suas sensações e facilitando o orgasmo.

2. O orgasmo tem que acontecer em toda a relação sexual: Mentira
O orgasmo não deve ser o objetivo de toda a relação sexual. As carícias e todo o prazer vivido durante o ato sexual devem ser valorizados. Pode acontecer uma boa relação sexual sem que um ou ambos os parceiros atinjam o orgasmo.

3. As mulheres depois dos 50 sentem mais desejo e têm mais orgasmos: Mentira
O desejo não está vinculado com a idade e sim com a possibilidade de ser vivido. Quando uma mulher é mais jovem ela é menos experiente, isso pode fazer com que tenha mais inibição. Uma mulher com mais idade e eventualmente com maior experiência sexual, se encontra mais livre para viver a sexualidade plenamente.

4. O orgasmo vaginal é mais intenso que o clitoriano: Mentira
O orgasmo clitoriano é mais comum, mas a intensidade não depende do órgão e sim da excitação e entregas alcansadas a cada nova relação sexual.

5. Fazer sexo faz bem para a beleza, ter orgasmos faz bem pra pele: Verdade
A troca sexual é uma das mais importantes maneiras de se renovar a energia. A pele ganha mais luminosidade; a beleza natural brota de dentro para fora. O orgasmo promove saúde.

6. O orgasmo acontece da mesma maneira para todas as pessoas: Mentira
O orgasmo para cada pessoa provoca reações diferentes. E a cada vez pode ser diferente também. Para alguns é mais intenso, para outros é mais silencioso. O que ocorre sempre é que esta é uma sensação de entrega absoluta às sensações, ao desejo sexual e ao parceiro.

7. Quem se masturba tem mais facilidade de chegar ao orgasmo numa relação: Verdade
Quem você se masturba acaba conhecendo melhor o próprio corpo e suas sensações. Dessa forma pode buscar posições e situações que favoreçam essas sensações de prazer. Também poderá orientar melhor o parceiro sobre aquilo de que mais gosta e sobre as coisas que funcionam para aumentar suas sensações de prazer.

8. Orgasmos múltiplos são coisa de cinema: Mentira
Algumas mulheres experimentam o orgasmo múltiplo. Percebe-se que essas mulheres tem muito conhecimento do próprio corpo e capacidade de entregar-se com grande intensidade ao ato sexual e ao parceiro.

9. O melhor orgasmo é o que acontece simultaneamente para os dois parceiros: Mentira
O orgasmo simultâneo é muito raro. E nada garante que esta forma seja a de maior intensidade. Mais frequentemente o orgasmo ocorre em momentos diferentes nos quais cada um, seguindo seu ritmo, pode experimentar intensamente as próprias sensações.

10. É impossível ter orgasmo com sexo anal: Mentira
O orgasmo depende da excitação e da intensidade das sensações. O ânus é uma região altamente excitável, o que poderá provocar sensações de imenso prazer que podem conduzir ao orgasmo.