Mostrando postagens com marcador pedófilos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pedófilos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de março de 2011

Criança grava vídeo de pedófilo que oferecia balas para abusar de menina de 11 anos

Um fugitivo da polícia do Rio de Janeiro pode estar escondido no Espírito Santo. Jorge Ferreira da Silva, de 60 anos, foi denunciado por abusar de uma menina de 11 anos, na Zona Rural de Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste carioca. Ele atraía a criança com balas e doces e depois a molestava sexualmente. A irmã da vítima, de apenas sete anos, conseguiu filmar uma tentativa de abuso.

De acordo com a polícia, o pedófilo já praticava o ato pelo menos há oito meses. Ele morava nos fundos da casa da família, e trabalhava como pedreiro. A avó da vítima conta que ele atraía a menina oferecendo doces. "Trazia bombom, bala e sempre agradando a criança. Mas ele pegou ela sozinha. Foi pegar roupa na cerca que ele pegou ela atrás da casa", disse.

A criança passou por exame de corpo e delito que comprovou o abuso sexual. O suspeito é procurado pela polícia a duas semanas, mas por enquanto não há pistas de onde ele esteja. O delegado acredita que com a divulgação das imagens vá conseguir prender o suspeito.

"A prisão dele é importante até para a gente poder apurar se além desse abuso contra essa vítima de 11 anos, ele vinha praticando outros abusos contra outras crianças, e outros abusos contra essa mesma vítima, porque a notícia é que ela já vinha sendo molestada há oito meses", afirma.

As denúncias podem ser feitas pelo número 181.



Folha Vitória





segunda-feira, 14 de setembro de 2009

CCJ do Senado deve votar projeto que institui castração química para pedófilos

A Comissão de Constituição, Justiça (CCJ) do Senado deve analisar nesta quarta-feira (16) um projeto de lei que pretende instituir a castração química para pedófilos condenados por estupro, atentado violento ao pudor e corrupção de menores. O texto será votado em decisão terminativa e, se aprovado, não precisará passar pelo plenário do Senado, sendo enviado diretamente à Câmara dos Deputados.
foto: Geraldo Magela/Agência Senado
i
Gerson Camata (PMDB-ES), à esquerda, autor da proposta de castração química para condenados por crime de pedofilia, e o relator do projeto, Marcelo Crivella (PRB-RJ)

Elaborada pelo senador Gerson Camata (PMDB-ES), a proposta cria a pena de castração química para indivíduos considerados pedófilos que cometam essas três modalidades de crimes contra menores de 14 anos. Camata avalia que a pedofilia envolve deformação psíquica de tal ordem que impede a reabilitação dos indivíduos que apresentam essa doença. Em razão disso, e considerando os danos psicológicos impostos às vítimas, o senador entende que o problema precisa ser enfrentado com "máxima objetividade e rigor".

O relator da matéria, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), no entanto, optou por retirar o caráter impositivo e apenas recomendar a adoção do tratamento hormonal voluntário no seu relatório. A obrigatoriedade do procedimento, na avaliação de Crivella, inviabilizaria a proposta, já que a Constituição impede a aplicação de penas cruéis.

Tratamento opcional


Crivella deixa a cargo do detento a opção de submeter-se ao tratamento químico de controle da libido. O preso que optar pelo procedimento terá de passar por uma avaliação médica que irá aprovar a realização do tratamento. A castração será aplicada apenas nos casos mais graves, em que o tratamento psicológico ou psiquiátrico não tenha surtido efeito.

O condenado que aceitar o procedimento poderá ter a pena reduzida em um terço, mas terá que começar a terapia antes da concessão de liberdade condicional, ficando obrigado a continuar o tratamento até que o Ministério Público e o juiz de execução reconheçam, por meio de laudo médico, a conclusão do mesmo.

No texto recomendado pelo relator, o condenado que reincidir na prática dos mesmos crimes, já tendo feito o tratamento de controle hormonal da libido, não poderá mais fazer a opção por essa terapia durante o cumprimento da nova pena.

Crivella lembra em seu relatório que o tratamento químico já é adotado por países como os Estados Unidos e o Canadá e está em estudo na França e na Espanha. Segundo ele, a terapia química torna possível o retorno do pedófilo ao ambiente social, depois de superada sua patologia, deixando então de ser um "perigo" para os outros.

14/09/2009 - ( - G1)