Mostrando postagens com marcador professora. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador professora. Mostrar todas as postagens

sábado, 29 de outubro de 2011

Professora faz sexo com 5 alunos e pode ir para cadeia

Professora é condenada por fazer sexo com cinco alunos nos EUA
Defesa afirmou que adolescentes se aproveitaram de Stacy Schuler, 33.
Mas juiz não aceitou o argumento, e ela pode pegar décadas de cadeia.

A professora de educação física Stacy Schuler, de 33 anos, foi condenada por um tribunal do condado de Warren, no estado americano de Ohio, por ter feito sexo com cinco adolescentes, muitos deles do time de futebol americano da escola.

O caso ocorreu em 2010, na Mason High School, na cidade de Lebanon, na qual ela lecionava desde 2000. As relações teriam ocorrido na casa dela, em Springboro.

A história foi descoberta no início de 2011, graças a uma denúncia anônima. Em fevereiro, Stacy pediu demissão.

Cinco adolescentes depuseram e relataram que a professora tomava a iniciativa nos encontros, geralmente embalada por bebida alcoolica.
Stacy Schuler chora durante julgamento nesta quinta-feira (27), ao ouvir relato de mãe de um dos adolescentes com quem teria feito sexo (Foto: AP)

Outros ex-alunos, por sua vez, defenderam a professora, dizendo que ela apoiava os estudantes e sabia respeitar limites.

A defesa havia alegado insanidade, afirmando que ela tinha problemas psicológicos e não se lembrava dos incidentes. Os advogados argumentaram que os adolescentes teriam se aproveitado da professora.

Mas o juiz rejeitou a versão, e Stacy pode pegar décadas de cadeia quando sentenciada.

Da AP

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Professora posa nua para site pornô e pode ser demitida




A professora Rachel Whitwell, de 26 anos (foto), pode ser demitida de uma escola na Nova Zelândia depois de posar nua para o site australiano de uma revista pornográfica, segundo reportagem do jornal neozelandês "Stuff".

Rachel, que é namorada de Steve Crow, que trabalha no ramo pornográfico, está sendo investigada pelo conselho de professores da Nova Zelândia. Ela aparece em seis fotos no site, sendo duas nuas e outras duas de topless.

Em entrevista ao site da revista "Penthouse", ela contou que já escreveu contos eróticos e tem seu próprio estúdio de "pole dance" (do inglês, dança no mastro).

Para o diretor do conselho de professores, Peter Lind, o fato de a professora ter se exposto pode interferir no seu trabalho. "O que é privado e o que é público é sempre uma área cinzenta, mas, quando eles se cruzam, nós investigamos", destacou ele.


O contrato de Rachel vai até setembro de 2011. Ela lecionou na escola Yendarra, em Otara, até um ano atrás, quando se afastou para passar mais tempo com sua filha. Mas ela pretendia voltar a dar aulas.

Rachel disse que as fotos nuas não vão afetar sua capacidade de ensinar e de se relacionar com os alunos. "As pessoas vão confirmar que sou uma professora muito boa", disse ela.


Fonte: (G1)


quinta-feira, 8 de outubro de 2009

'Papa anjo': Professora pedófila admite mais de 100 ataques na Inglaterra


Britânica Carole Clarke atacou crianças entre quatro e sete anos de idade durante período de 17 anos.


Uma professora britânica de 48 anos foi acusada de molestar crianças entre quatro e sete anos de idade.

Carole Clarke admitiu à polícia que abusou sistematicamente de meninos e meninas durante um período de 17 anos, seguindo as crianças em banheiros públicos da região de Grimsby, Lincolnshire.

Clarke afirmou também que atacou sexualmente crianças cem vezes e já se declarou culpada de algumas acusações perante a Justiça de Grimsby, mas o número total de crimes cometidos por ela desde 1992 ainda não foi divulgado.

A professora foi denunciada depois de procurar ajuda de profissionais de saúde mental no sistema público de saúde e está detida desde janeiro. A sentença deve ser dada apenas no dia 14 de dezembro.

"Ela estava reconhecendo os sentimentos que tinha e estava tentando fazer o máximo de terapia", afirmou o advogado da professora, David Lee.

Quando foi detida, Clarke trabalhava em uma escola, como orientadora de alunos adultos.

Os detalhes do caso de Carole Clarke foram divulgados na mesma semana que uma funcionária de uma creche na Inglaterra se declarou culpada de uma série de acusações ligadas a abusos sexuais de crianças.

Vanessa George, de 39 anos, e outros dois acusados, Angela Allen, 39, e Colin Blanchard, 39, compareceram diante de um tribunal em Bristol.

Juntos, eles respondiam a 37 acusações de abuso sexual e de distribuir pela internet imagens indecentes de crianças. Os três foram presos em junho passado.

Vanessa George, que trabalhava em uma creche em Plymouth, se declarou culpada de 13 acusações, entre elas acusações de abusos de menores e de distribuição de pornografia infantil.

Acredita-se que os três se conheceram através do site de relacionamentos sociais Facebook, e que nunca tinham se encontrado pessoalmente.

Fonte: Da BBC

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Professora de biologia demitida por posar de biquíni vira atriz pornô

Uma professora de biologia que foi demitida no estado da Flórida, nos EUA, depois de posar em fotos picantes, decidiu dar uma guinada na carreira. Tiffany Shepherd, de 31 anos, virou atriz pornô, segundo o jornal norte-americano "New York Daily News".

Tiffany tinha sido demitida de uma escola na cidade de Port St. Lucie, na Flórida, em abril deste ano. O colégio resolveu despedi-la porque considerou inadequado o fato dela ter posado de biquíni em um barco de pesca. Ela também perdeu a guarda de dois de seus três filhos.

foto: Reprodução


Segundo o periódico, ela decidiu virar atriz pornô porque não conseguiu um novo emprego em sua área, apesar de ter enviado cerca de 2,5 mil currículos. "Não estou particularmente orgulhosa dele. Para ser honesta, eu odeio isso", disse Tiffany.

Na indústria pornográfica, Tiffany Shepherd usa o nome de Leah Lust. Ela já estrelou cinco filmes. "É muito profissional", afirmou.
G1

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Novo vídeo mostra professora dançando 'Todo enfiado' dois dias antes

Nas primeiras entrevistas na televisão e no rádio após ser demitida, a professora Jaqueline Carvalho dos Santos, 28 anos, disse que tinha dançado daquela forma uma única vez, por conta de um exagero na bebida. Ela afirmou que nunca antes daquilo havia subido ao palco, durante show da banda o Troco, para requebrar mostrando a calcinha.

Jaqueline esqueceu, no entanto, que hoje em dia há câmeras por todo canto. E não demorou para o mesmo You Tube que lhe deu fama em todo o Brasil mostrar que ela havia feito o mesmo dois dias antes. Uma nova gravação publicada no site e encontrada pelo CORREIO na terça-feira (1º) revela Jaqueline dançado o mesmo Todo enfiado da banda O Troco, duas noites antes da apresentação no Malagueta.

No novo vídeo, Jaqueline aparece novamente dançando com a saia levantada, enquanto o cantor Mário Brasil, vocalista da banda, puxa a calcinha dela para cima. Essa apresentação ocorreu na casa de eventos Beach Bear, em Patamares, durante uma participação especial de O Troco, no show da banda Leva Nóiz. Batizada como Quinta do Zig, a festa ocorreu no dia 4 de junho deste ano, segundo o empresário da banda, Júnior Badega.


Nova sequência mostra professora de saia e blusa fazendo a dança do ‘Todo enfiado’ dois dias antes do show no Malagueta
Foto: Divulgação

Usando uma minissaia jeans e uma blusa branca, Jaqueline dança com desenvoltura, em cima do palco, ao lado de Mário Brasil, enquanto é filmada por pessoas que assistem à apresentação, usando câmeras de celulares. Dois dias depois, a professora voltou a subir ao palco, na casa de shows Malagueta. A dança foi a primeira a ir parar o You Tube e provocou a demissão da professora. O caso ganhou repercussão nacional, ficou entre os mais lidos nos portais de notícias, o vídeo foi campeão de acessos na web e Jaqueline foi parar na TV.

Jaqueline já admite posar nua
Depois de toda a polêmica após a divulgação do seu vídeo no show de pagode e a sua demissão, a professora Jaqueline admitiu na terça-feira (1º) que está aberta a uma possível proposta para posar nua. Além disso, a pedagoga cogitou também a possibilidade de seguir a carreira de dançarina num grupo de pagode.

Diferente do que ela disse há alguns dias, quando afirmava que tudo o que queria era voltar a dar aulas, parece que agora a professora mudou de ideia. “Se for de uma forma profissional, eu aceito sair numa revista (masculina). Se receber um convite para dançar numa banda também aceito, mas não dançaria mais como fiz na filmagem”, declarou a pedagoga, em entrevista concedida ao CORREIO, por telefone.

Ela disse já ter recebido algumas propostas, mas afirmou que ainda está analisando os convites. Há poucos dias, durante um programa de TV, em rede nacional, a professora afirmou: “Eu não sou Scheila Carvalho, não sou Carla Perez, não sou Roseane Pinheiro, não sou dançarina, sou professora”.

Fama
Jaqueline ganhou notoriedade na semana passada, quando foi demitida do Colégio Objetivo, onde dava aulas, depois que seu vídeo dançando no show da banda O Troco se espalhou na internet. O CORREIO noticiou a demissão com exclusividade. No dia seguinte, a professora foi procurada por toda a imprensa nacional. De acordo com o empresário da banda, Júnior Badega, ela teria, inclusive, recebido R$15 mil de cachê para conceder entrevista a uma emissora de televisão. Questionada, Jaqueline disse que ainda não viu o dinheiro. “Eu recebi apenas promessas, mas até agora não ganhei nada”, contestou.

Vídeos: advogado pede retirada
Enquanto a professora Jaqueline de Carvalho dos Santos, 28 anos, cogita posar nua para uma revista masculina e seguir a carreira de dançarina de pagode, o advogado penalista Antônio Roberto Leite Matos, representante legal da pedagoga, ingressou com ação judicial para impedir a exibição do vídeo em que ela aparece dançando de calcinha, durante ensaio da banda O Troco.

O criminalista protocolou uma ação inibitória junto à Central de Distribuição do Fórum Rui Barbosa, pedindo que as imagens de Jaqueline sejam retiradas dos meios de comunicação. Leite Matos alega prejuízos à honra e à imagem da professora, para solicitar a proibição da exibição da filmagem dos programas de televisão e dos sites da internet. Ele pede ainda que a Justiça proíba a publicação de fotos retiradas do vídeo em jornais impressos.


Matos diz que havia orientado Jaqueline a evitar muita exposição
Foto: Robson Mendes

O advogado quer que o juiz conceda o pedido liminarmente, antes do julgamento do mérito. Para o advogado da professora, as imagens da sua cliente dançando estão sendo transmitidas associadas aos apelos sexual e obsceno. Leite Matos afirmou que, apesar de a professora estar aparecendo nos programas de TV, ele já havia orientado a cliente a não se expor na mídia. “Jaqueline foi para São Paulo contrariando minha orientação”, disse .

É quanto ganha por apresentação uma dançarina novata. Com dois shows por semana, o salário é de R$1.200. Jaqueline ganhava R$980 no colégio onde lecionava.

Pró e Sarah Verônica trocam farpas
O que é mais erótico: descer na boquinha da garrafa ou com todo enfiado? Esse é o embate entre a ex-dançarina da Cia. do Pagode Sara Verônica e a professora Jaqueline Carvalho. De um lado, Sara defende a sensualidade do seu rebolado profissional e repele qualquer comparação com a pró Jaqueline. Esta classifica Sara como invejosa. “Sara está fazendo um julgamento negativo de mim. Não acho a dança (Todo enfiado) erótica. Quem é ela para poder me julgar?”, perguntou a professora, a uma emissora de TV.


Jaqueline Carvalho (Todo enfiado) e Sara Verônica (Boquinha da garrafa)
Foto: Andréa Farias e Evandro Veiga

Aos 31 anos, Sara já não desce na boquinha da garrafa, e classifica suas antigas perfomances como sensuais. “Parei de dançar, sou balzaquiana. Não tenho inveja, o que ela quiser fazer para ter um lugar na mídia, ótimo. Só dei minha opinião”.

Entre as duas, a opinião de Roseane Pinheiro: “É um direito dela ou de qualquer outra dançar do jeito que quiser. Quando uma mulher sobe ao palco, ela quer fechar”.

CORREIO noticiou demissão com exclusividade
A professora Jaqueline Carvalho ganhou as manchetes e dominou os programas de TV de todo o país depois que o CORREIO noticiou sua demissão do Colégio Objetivo, na última quinta-feira (28). A educadora foi desligada da instituição depois que um vídeo dela dançando a música ‘Todo enfiado’, da banda O Troco, na casa de shows Malagueta, virou hit no site You Tube.

No vídeo, o vocalista do grupo, Mário Brasil, puxa a calcinha da professora depois que ela sobe ao palco. O caso aconteceu no dia 6 de junho. Procurada pela reportagem, a professora contou que desde que o vídeo começou a circular ela vinha sendo perseguida no bairro onde morava (Vale dos Lagos), de onde teve que sair. Disse ainda que ela própria procurou a direção do colégio para contar sobre o vídeo, sendo desligada dois dias depois.

Fama repentina

5ª feira, 27/8 - O CORREIO publica com exclusividade matéria sobre a demissão da professora.

6ª feira, 28/8 - O caso ganha repercussão nacional e a professora fica três horas no ar, em rede nacional, e se diz arrependida.

3ª feira, 1º/9 - Advogado entra com ação cautelar para a retirada dos vídeos.

(Notícia publicada na edição impressa do dia 02/09/2009 do CORREIO)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Professora do vídeo: 'Não dançaria mais daquela forma, mas poderia até mostrar a calcinha'.

Depois de provocar polêmica em Salvador com a divulgação do vídeo em que aparecia dançando 'Todo enfiado', a ex-professora Jaqueline Carvalho disse, na tarde desta segunda-feira (31), que poderia dançar outra vez, mas sem mostrar tanto. 'Não dançaria mais daquela forma, mas poderia até mostrar a calcinha'.



Ainda sobre o polêmico sucesso do vídeo, Jaqueline, que foi demitida após a veiculação na internet, disse: 'Gostaria de continuar ensinando, mas estou disposta a me tornar dançarina profissional'.

As declarações foram dadas a um apresentador de TV, de um programa nacional ao vivo, em São Paulo. No mesmo quadro, Jaquelina havia dito na última sexta-feira (28) que não dançaria, já que sua formação era de professora. Ela chegou a se irritar com as perguntas feitas pelo público e por debatedores presentes no programa, como o colunista Leão Lobo.

Fonte: Correio da Bahia

domingo, 30 de agosto de 2009

Dança 'todo enfiado': professora vira celebridade após polêmica sobre demissão

Em tempos de internet, a professora Jaqueline Carvalho, 26 anos, ganhou um pouquinho mais do que os15 minutos de fama previstos pelo pintor americano Andy Warhol, depois que chegou à rede mundial um vídeo dela dançando num show de pagode.

As cenas do cantor puxando a calcinha da educadora chegaram ao site You Tube e a professora virou celebridade instantânea, após o CORREIO ter revelado que Jaqueline perdeu o emprego na escola onde lecionava para crianças do pré-escolar e alfabetização, por causa da gravação.


'Errei, mas quem não errou que atire a primeira pedra'

A dança e as poses sensuais lhe custaram o trabalho, mas também trouxeram a fama. “Jackie” passou o dia de sexta-feira (28) dando entrevista para vários veículos de imprensa, foi filmada, fotografada e ficou quase três horas na sexta-feira em rede nacional na Record.


De bem: a professora e o vocalista da banda O Troco, Mario Brasil

O caso também se espalhou pelo mundo através da internet. O vídeo ficou entre os mais acessados no portal G1 (Globo.com) e foi parar atéem sites da Romênia. Jaqueline foi caçada por repórteres, câmaras e fotógrafos como se fosse pop star.

PERSEGUIÇÃO
A fama repentina com a repercussão do caso levou a professora a ser perseguida no bairro onde morava, o Vale dos Lagos. Ela lembrou que não podia nem sair de casa que os vizinhos tiravam sarro.


Jackie precisou mudar de bairro para evitar problemas

A dança da pedagoga causou grande debate. O público ficou dividido: enquanto muitos acham que ela não fez nada de errado para chegar a perder o emprego, outros defendem que ela ultrapassou os limites para uma professora. Durante sua entrevista em rede nacional, Jaqueline admitiu que errou ao subir ao palco e dançar pagode mostrando a calcinha. “Eu errei por causa da minha profissão”, admitiu.

EMBRIAGUEZ
A professora alegou ter dançado com a calcinha à mostra porque bebeu duas garrafas de uísque e ainda consumiu cerveja. Ela reclamouda discriminação que vem sofrendo depois que o vídeo foi parar na internet. “Eu errei, mas quem não errou que atire a primeira pedra”, disse. Jaqueline acrescentou que não foi só criticada. “Me elogiaram também, 100% dos homens falaram muito bem de mim, mas as mulheres devemter inveja”, reclamou.

Jaqueline revelou ainda que percebeu o exemplo que pode ter dado no vídeo dentro da própria casa. “Peguei minha filha assistindo (aovídeo) e fazendo o mesmo movimento que eu estava fazendo no palco. Mas eu sentei com ela e expliquei que o que fiz era errado”, falou a professora, durante entrevista na TV.


Vídeo de Jackie no pagodão lhe rendeu a fama

Apesar da fama repentina, Jaqueline diz não querer ser uma celebridade. Ela afirmou que não pretende seguir a carreira de dançarina de pagode, nem quer tirar proveito do caso para se projetar. “Eu não sou Scheila Carvalho, Carla Perez ou Roseane Pinheiro. Não sou dançarina, sou professora”. E, quando questionada sobre o que mais queria neste momento, foi direta: “Um emprego”.

Sem emprego, Jackie voltou à casa da mãe
A exposição midiática e a repercussão do caso mudaram a vida da humilde professora Jaqueline Carvalho, 26 anos. Depois que foi demitida da escola onde lecionava, por causa do escândalo, ela teve que devolver o apartamento alugado onde morava, no Vale dos Lagos.

Sem emprego e sem residência, a pedagoga teve quer voltar para a casa dos pais, na Ribeira. “Sou de uma família humilde, minha mãe também está desempregada, faz biscate para sustentar a casa. Meu pai trabalha, tem uma empresa, mas a empresa dele está mal”, disse Jaqueline, em entrevista à Rede Record.

Formada em pedagogia pela Universidade Jorge Amado, ela tinha um salário de cerca de R$1 mil. “Jackie” tem uma filha de 7 anos, não mantém relacionamento com o pai da criança, mas diz ter um namorado atualmente.

Após ser publicada no CORREIO, notícia corre os principais jornais do Brasil - e até da Europa
A notícia da demissão da professora Jaqueline dominou o noticiário nos últimos dias, depois que o CORREIO divulgou o fato com exclusividade, na quinta (27). A rapidez da repercussão foi de fazer inveja a qualquer You Tube.

No mesmo dia, os principais jornais e sites do país repercutiram a divulgação das imagens. A coisa foi parar até em sites da Romênia: Ziua Online e Antena 3. No Brasil, deram destaque alguns dos sites mais acessados do país, como G1, Estadão e UOL, além de sites e jornais de diversos estados: Brasília em Tempo Real (DF), Primeira Edição (AL), 180 Graus (PI), Paraíba Agora (PB), Gazeta Online (ES), Portal Amazônia (AM), Fax Aju - Plenário (SE) e Jornale (PR).

Advogado quer tirar vídeos da internet
O advogado da professora de educação infantil Jaqueline Carvalho, Leite Matos, disse na sexta-feira (28) que vai entrar com uma ação cautelar contra o site You Tube para que os vídeos sejam retirados da rede. Matos pretende barrar a proliferação das imagens.

Somente um dos vídeos já havia sido assistido 283.862 vezes até o final da tarde de sexta. Depois do bloqueio das imagens, Leite Matos pretende entrar na Justiça com uma ação civil indenizatória contra o site.

'Passei a madrugada redigindo a ação cautelar. O objetivo é bloquear as exibições e só depois buscar uma ação principal por uma indenização”, confirmou o advogado.

Leite Matos argumenta que, por mais que tivesse dançado em local público, a postagem das imagens da professora não poderia ocorrer sem o seu consentimento.

“Ela tem todo o direito de ir para o pagode e fazer o que quiser. O que não pode é publicar isso na internet sem autorização”. As gravações ocorreram no dia 6 de junho, quando Jaqueline foi filmada dançando a música Todo Enfiado, com o vestido suspenso e o vocalista do grupo O Troco, Mário Brasil, puxando sua calcinha.

CICARELLI CONSEGUIU
Por conta de um vídeo que foi divulgado no You Tube em 2007 em que aparecem em cenas picantes numa praia na Espanha, a modelo Daniela Cicarelli e seu então namorado Tato Malzoni entraram na Justiça para bloquear as imagens. E conseguiram. O desembargador Ênio Zuliani, do Tribunal da Justiça de São Paulo, ordenou a retirada do vídeo do site. Por uma interpretação do juiz Lincoln de Moura, que mandou notificar os provedores, o site ficou 24 horas fora do ar.

Redação CORREIO | Marcelo Brandão e Alexandre Lyrio | Fotos: Evandro Veiga

Correio - O QUE A BAHIA QUER SABER

sábado, 29 de agosto de 2009

Professora da Bahia é demitida: advogado tenta tirar vídeo da web

Educadora foi filmada, em junho, fazendo coreografia em show de pagode.
Vídeo já teve mais de 100 mil acessos na web.

                 Professora diz que sofreu retaliações no bairro onde                     morava, em Salvador (Foto: Reprodução/Youtube)

Professora diz que sofreu retaliações no bairro onde morava, em Salvador (Foto: Reprodução/Youtube)

O advogado Antonio Leite Matos vai à Justiça para tirar da web o vídeo em que uma professora de ensino fundamental, de 28 anos, aparece dançando sensualmente, em Salvador. Ela foi demitida após a divulgação das imagens, segundo o advogado. O vídeo já teve mais de 100 mil acessos.

Após o 'flagrante', feito em junho deste ano, a educadora diz que passou a sofrer retaliações de vizinhos, precisou mudar de endereço e perdeu o emprego. A filha dela, de 7 anos, também deixou de frequentar a escola particular onde a mãe lecionava.

Leite Matos disse que deve entrar com uma ação cautelar na Justiça de Salvador na próxima semana. "Quero que o vídeo saia da internet. Ela não sabia que a dança seria gravada e disponibilizada na rede mundial de computadores. Ela sofreu danos morais e materiais, pois teve sua imagem exposta sem autorização e perdeu o emprego por causa da publicação do vídeo."

As imagens foram registradas por várias pessoas que estavam na plateia de uma casa noturna e usaram câmeras de celular. Ela foi convidada para subir ao palco durante a apresentação do grupo de pagode O Troco. Ela dançou a coreografia da música "Todo enfiado", que é bastante sensual. O vídeo já teve mais de 100 mil acessos.


Perfil
A professora é formada em pedagogia e faz pós-graduação na área. Ela ministrava aulas de alfabetização para crianças de 5 anos em uma escola particular da capital baiana.

A direção da escola disse ao G1 que houve uma conversa com a professora e a mãe dela e a demissão foi uma medida consensual. Ainda de acordo com a instituição de ensino, após a exposição do vídeo da professora na internet, ela não se sentia mais à vontade para trabalhar.


Fonte: G1
Glauco Araújo - Do G1, em São Paulo

segunda-feira, 30 de março de 2009

Professora bêbada dançando é filmado por alunos nos EUA

Os alunos de uma escola em Land O'Lakes, no estado da Flórida, no Estados Unidos, filmaram com seus celulares a professora Kylene Nelson, de 42 anos, dançando bêbada dentro da sala de aula.  

foto: Reprodução
A professora Kylene Nelson, de 42 anos, é acusada de ter ido dar aula bêbada e ter forçado os alunos dançarem

Uma estudante que não quis se identificar disse, em entrevista ao canal "WTSP 10", que a professora cheirava álcool e dançava de maneira estranha. A professora também teria colocado música alta e forçado os alunos a dançarem com ela.

"Ela começou dizendo: 'Se vocês não dançarem comigo, todos vocês vão reprovar'", afirmou a estudante.

Em um determinado momento, a professora teria praticamente exposto as nádegas enquanto dançava com um aluno de 13 anos. "Nós dissemos: 'professora, por favor, suba suas calças", contou uma das testemunhas.

Segundo a investigação, Kylene Nelson apresentava um nível de álcool no sangue de 0,26 decigramas. Depois de fugir da escola para um centro comunitário nas proximidades, ela foi encontrada desmaiada dentro de uma piscina.

A professora está de licença administrativa enquanto aguarda uma decisão sobre o seu futuro na escola. Uma comissão disciplinar deve tomar uma decisão em reunião marcada para o dia 21 de abril, segundo a emissora "WTSP 10". 


(Fonte:  G1)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Estudante é preso por pegar maçã da professora

 Foto: Reprodução/TC Palm
Estudante Dylan Ray Morrison foi liberado após o pagamento de uma fiança de US$ 500. (Foto: Reprodução/TC Palm)

O estudante Dylan Ray Morrison, de 18 anos, foi preso pela polícia de Port St. Lucie, no estado da Flórida (EUA), porque furtou uma maçã decorativa da mesa da professora e recusou-se a devolvê-la, segundo o jornal americano "TC Palm".

Morrison pegou a maçã de vidro da professora porque ela havia confiscado uma mola com a qual estava brincado. Ele disse que só iria devolver o objeto decorativo se recebesse de volta sua mola.

A aula chegou a ser interrompida por cerca de 15 minutos, mas o estudante não quis devolver a maçã de vidro, que custa cerca de US$ 10. Nem a chegada do reitor dos estudantes, Robert Beasley, resolveu o impasse.

Apesar da chegada de um policial, o estudante continuou intransigente e não devolveu a maçã decorativa da professora. Ele acabou preso e só foi liberado da cadeia depois do pagamento de uma fiança de US$ 500.

Fonte: G1